Invisibilidade por indução eletromagnética. (Fonte da imagem: Reprodução/Arxiv)

As capas de invisibilidade fazem parte da ficção científica e dos sonhos de muitos pesquisadores há pelo menos uma década. Entretanto, criá-las no mundo real não é uma tarefa muito simples — e manter o controle sobre elas parece ser ainda mais difícil.

Contudo, os pesquisadores Darran Milne e Natalia Korolkova, da Universidade de Saint Andrews, na Escócia, estão trabalhando em um projeto que pode resultar em capas de invisibilidade capazes de serem “ligadas” e “desligadas” por quem as estiver utilizando.

Isso seria possível graças a um processo conhecido como transparência eletromagnética induzida, um fenômeno no qual certos materiais se tornam transparentes quando dois feixes de luz são projetados sobre eles. A técnica funciona em materiais com átomos que podem existir em três estados eletrônicos distintos.

A ideia é que o feixe de laser seja absorvido quando os átomos estão em um estado “A”. Assim, a luz é absorvida e induz os átomos para um estado “B” ou “C”. Se as frequências dos lasers estiverem alinhadas, sua capacidade para excitar os elétrons pode ser anulada, o que resulta na possibilidade de escolha entre um estado “ligado” e “desligado”.

Se na teoria isso é possível, agora os pesquisadores trabalham na tentativa de colocar em prática o projeto de pesquisa. A técnica seria um avanço importante nas tecnologias de camuflagem, mas ainda deve demorar alguns anos para que um recurso como esse esteja disponível em escala comercial.

Fonte: Arxiv