Covid-19: novo material usado em tintas é capaz de eliminar o coronavírus

1 min de leitura
Imagem de: Covid-19: novo material usado em tintas é capaz de eliminar o coronavírus
Imagem: EMBRAPII
Avatar do autor

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII), agência de fomento com contratos de gestão com os ministérios da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Educação (MEC) e Saúde (MS), anunciou apoio ao desenvolvimento de um novo material nanoestruturado, à base de cobre e capaz de eliminar bactérias, fungos e vírus, inclusive o da covid-19 (coronavírus SARS-CoV-2).

Além de um investimento superior a R$670 mil, pesquisadores da EMBRAPII também atuam no projeto através do seu Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT). O produto final, que pode ser utilizado na indústria têxtil, agroindústria e médico-hospitalar, é uma iniciativa do Grupo Cecil, de Itapevi (SP), fabricante de produtos de cobre e ligas.

A parceria, que gerou uma spin-off – a startup Abluo – busca fortalecer a fabricação do produto, de forma a viabilizar técnica e economicamente a sua produção em escala industrial. A ideia é obter autonomia em uma tecnologia nacional de nanopartículas de cobre, aplicadas em diferentes tipos de materiais, porém sem perder suas características físico-químicas.

A Abluo e a produção de nanopartículas com ação antiviral

Fonte: Shutterstock/Reprodução.Fonte: Shutterstock/Reprodução.Fonte:  Shutterstock 

As nanopartículas de cobre são apresentadas em duas fases: uma em suspensão aquosa e outra em estado sólido. A base líquida pode ser utilizada na fabricação de tintas e vernizes, enquanto o produto sólido é compatível com diversos polímeros, podendo ser usado na produção de plásticos, tecidos e embalagens.

Para o gerente geral da Abluo, Leandro Fornasaro, "os resultados deste projeto são muito promissores. As aplicações e as propriedades antivirais e antimicrobianas das nanopartículas de cobre criaram a oportunidade de desenvolvimento de um novo modelo de negócio.”