Energia elétrica fica ainda mais cara a partir de setembro, anuncia Aneel

1 min de leitura
Imagem de: Energia elétrica fica ainda mais cara a partir de setembro, anuncia Aneel
Imagem: chuyuss/Shutterstock
Avatar do autor

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) anunciou que a conta de luz vai ficar ainda mais cara a partir de setembro. Com a criação de uma nova bandeira, chamada de Escassez Hídrica, o consumidor terá de arcar com uma cobrança adicional de R$ 14,20 a cada 100 kWh gastos.

Segundo estimativa da agência, o impacto na conta de energia elétrica deve ser de 6,78%, em média. A vigência da nova bandeira é de setembro de 2021 a abril de 2022. Vão ficar de fora da cobrança adicional os consumidores de sistemas isolados e os cerca de 12 milhões de usuários inscritos na Tarifa Social.

O anúncio foi feito em entrevista coletiva nesta terça-feira (31) pela Aneel e pelo Ministério de Minas e Energia (MME).

ItaipuHidroelétrica de Itaipu, no Paraná (créditos: Samuel Kochhan/Shutterstock)

Na bandeira anterior, Vermelha 2, a tarifa extra cobrada era de R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos.

Os sucessivos aumentos no preço da eletricidade no país têm como um dos motivos a falta de chuvas, na que já é considerada a pior estação úmida nos últimos 91 anos, segundo dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Para alguns especialistas, a crise atual também é fruto de má gestão dos reservatórios das usinas nos últimos anos.

Como parte dos esforços para minimizar os impactos econômicos, o governo federal criou um site com informações sobre a atual crise hídrica e dicas para economizar energia elétrica.