Neuralink, de Musk, capta US$ 200 milhões do Google e mais empresas

1 min de leitura
Imagem de: Neuralink, de Musk, capta US$ 200 milhões do Google e mais empresas
Imagem: Pixabay/Gerd Altmann/Reprodução
Avatar do autor

A Neuralink, empresa do empresário bilionário Elon Musk, arrecadou US$ 205 milhões em uma rodada de financiamento liderada pelo fundo Capital, com sede em Dubai, que conta com a participação do Google Ventures, da Alphabet.

A companhia, fundada em 2016, tem como objetivo implantar chips sem fio no cérebro para ajudar na cura de doenças neurológicas, incluindo Alzheimer, demência e lesões na medula espinhal, além de criar uma simbiose entre o corpo humano e a inteligência artificial. A tecnologia, segundo Musk, pode permitir que paraplégicos voltem a andar.

Os recursos serão utilizados para lançar seu primeiro produto no mercado. A companhia deve estrear com o N1 Link, equipamento de gravação neural implantado no cérebro com 1.024 eletrodos com um dispositivo de transmissão de dados. "O primeiro produto Neuralink permitirá que alguém com paralisia use um smartphone com a mente mais rápido do que alguém que usa os polegares", tuitou Musk em abril.

Macaco jogando videogame sem joystick

Em abril, a empresa divulgou um vídeo em que mostra um macaco jogando “Ming Pong” sem a utilização de um joystick. Os pesquisadores implantaram o N1 link em ambos os lados do cérebro do primata de 9 anos cerca de seis semanas antes de gravar o vídeo.

Antes de aprender a jogar, os pesquisadores ensinaram o animal a como usar o joystick. Quando ele moveu o cursor para o bloco emissor de luz na tela, foi recompensado com um smoothie de banana enviado por um canudo.

O exercício permitiu que o dispositivo da Neuralink em seu cérebro registrasse sua atividade por meio de mais de 2 mil eletrodos implantados na área do córtex motor, que coordenam os movimentos das mãos e dos braços.

Os dados foram processados pelo decodificador da empresa para que os movimentos esperados da mão do primata pudessem ser previstos. Depois de alguns minutos de calibração, o programa entendeu completamente o padrão neural do animal, então o macaco não precisou mais do joystick para mover o cursor até o bloco.