1ª selfie espacial: imagens da NASA vão a leilão

1 min de leitura
Imagem de: 1ª selfie espacial: imagens da NASA vão a leilão
Imagem: Christie's/NASA/Reprodução
Avatar do autor

Como comandante da missão Apolo 11, Neil Armstrong foi o responsável por documentar os primeiros passos do ser humano na Lua levando, presa ao peito, uma Hasselblad. Uma segunda câmera foi usada para tirar fotografias de dentro do módulo lunar Eagle – e por isso, existe uma única imagem de Armstrong na superfície lunar, e essa preciosidade está sendo vendida pela casa de leilões londrina Christie’s juntamente com outras 2.400 registros sobre a exploração espacial.

A única imagem do astronauta Neil Armstrong na superfície da Lua, em julho de 1969.A única imagem do astronauta Neil Armstrong na superfície da Lua, em julho de 1969.Fonte:  NASA/Buzz Aldrin/Reprodução 

As imagens da série To Another World: The Victor Martin-Malburet Photograph Collection. distribuídas por 700 lotesretratam a idade de ouro da NASA, cobrindo o fim dos anos 1940 aos anos 1970. Entre as imagens, está a primeira selfie tirada do espaço: a do astronauta Buzz Aldrin, em novembro de 1966.

.  NASA/Buzz Aldrin/Reprodução 

Além desta e da única fotografia de Neil Armstrong na Lua, há outras imagens marcantes, como a icônica e inédita pegada deixada sobre a superfície da Lua, em (pela missão Apolo 11, em 1969), o primeiro registro do lado oculto da Lua, de 1959; o primeiro passeio no espaço, em 1965; e a primeira foto da Terra no horizonte da Lua, tirada em dezembro de 1968.

.  NAsa/Apollo 8/William Anders/Reprodução 

Os lances (somente virtuais, por causa da pandemia de covid-19) começam em £ 100 (cerca de US$ 132). Segundo a casa de leilões londrina, algumas das imagens mais conhecidas poderão ser vendidas por mais de £ 50 mil, ou US$ 66 mil (a selfie de Aldrin tem lance mínimo de £ 3.500, ou US$ 4.410, e a fotografia de Armstrong, £ 30 mil, ou US$ 37.800).

Registro acurado

O físico e matemático francês Victor Martin-Malburet começou sua coleção depois que seu pai, um colecionador de arte contemporânea, o levou para ver um leilão de fotografias espaciais. Foi uma paixão fulminante.

O fascínio pelo espaço o levou a comprar imagens em leilões e de colecionadores particulares. Além disso, ele combinou notas de arquivo e transcrições da NASA com as fotografias tiradas pelos astronautas para documentar a hora e o lugar exatos de cada uma (algo que, em alguns casos, nem a agência espacial americana fez).

Você pode ver todas as imagens das missões Apolo aqui.

1ª selfie espacial: imagens da NASA vão a leilão