Pesquisadores usam grama para desenvolver células solares capazes de gerar luz elétrica

1 min de leitura
Imagem de: Pesquisadores usam grama para desenvolver células solares capazes de gerar luz elétrica
Avatar do autor


Painéis solares mais fáceis e baratos para todos graças à fotossíntese

É sabido por nós que as plantas absorvem muita energia vinda do sol para a realização do processo de fotossíntese. E uma equipe de pesquisadores do MIT, nos Estados Unidos, conseguiu determinar que, de fato, nada na natureza recebe e aproveita tanto a energia solar como as plantas.

Trabalhando a partir dessa informação, os cientistas conseguiram realizar a produção “artificial” de células solares capazes de produzir energia elétrica.

Isso foi feito por meio da utilização de uma mistura de pó estabilizador (criado à base de óxido de zinco e óxido de titânio) e grama, por exemplo, além de substrato de vidro ou algum tipo de metal para que fosse possível replicar o processo de fotossíntese.

A ideia dos cientistas é conseguir estabilizar com total eficiência a estrutura responsável pela fotossíntese dentro das células das plantas, pois este processo gera também uma corrente elétrica quando tudo isso é exposto à luz solar – sendo criada uma energia em forma de substrato.

Com a invenção, os pesquisadores do MIT querem desenvolver uma espécie de camada de pintura, que poderia ser aplicada às construções e que possibilitaria a todos contar com painéis solares em suas construções.

No entanto, infelizmente essa técnica está longe de ser uma realidade. Isso porque a taxa de eficiência da tecnologia ainda é extremamente baixa, sendo menor do que 2% e seriam necessários pelo menos 20% para que essa tecnologia se torne, de fato, uma fonte viável de produção da energia solar.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Pesquisadores usam grama para desenvolver células solares capazes de gerar luz elétrica