Você certamente já deve ter ouvido seus avós ou até mesmo seus pais falarem que determinada pessoa “nasceu para ser má”. Talvez aquele colega que batia em você na escola ou aquele primo delinquente. Apesar de soar quase como uma explicação sobrenatural para a natureza do indivíduo, pode ser que eles tenham uma pequena ponta de razão.

De acordo com uma pesquisa realizada pela Universidade do Texas, o “destino” de uma pessoa realmente pode ser influenciado por seu seu código genético, fazendo com que ela possua um condicionamento para ser boa ou má. Para isso, o comportamento de determinado grupo foi analisado, procurando similaridades e diferenças que comprovassem a teoria.

Em determinado ponto do estudo, os pesquisadores compararam todo o histórico de irmãos gêmeos, sendo alguns idênticos e outros não, para descobrir se há alguma influência genética na determinação da índole humana. Por incrível que pareça, o resultado mostrou que irmãos que dividem o mesmo DNA apresentaram comportamentos semelhantes, sejam eles bons ou maus.

No entanto, isso não significa que a maldade acompanhará alguém desde seu nascimento. Os apontamentos da Universidade do Texas mostram apenas que certas pessoas são pré-dispostas a realizar determinadas ações, mas isso não descarta a influência de fatores externos.

Além disso, ainda não foi identificado qual é o “gene do mal”, mas acredita-se que um aprofundamento na pesquisa permitirá que cientistas consigam reconhecer um possível criminoso apenas pelo seu sangue e, com isso, saber se ele possui alguma tendência violenta antes de cometer o ato em si.

Cupons de desconto TecMundo: