(Fonte da imagem: New Scientist)

Pesquisadores da Universidade de Chicago conseguiram registrar na Antártida um grupo de lagos que se movem. E o mais incrível é que não são centímetros de diferença: eles "caminham" nada menos que 500 metros por ano.

Os 11 lagos estão dentro da plataforma de gelo George VI, que fica localizada entre a Península Antártica e a Ilha de Alexandre. Eles já haviam sido identificados na década de 70, mas só agora é que seus longos passos foram registrados.

Estagiária é quem notou a movimentação

Se você pensa que apenas graduados, doutores e PHDs é que fazem descobertas, está enganado. Nesse caso, foi uma aluna chamada Claire Labarbera que percebeu que os lagos mudaram de lugar em relação a terra da ilha de Alexandre, de ano para ano.

A descoberta foi relatada pela revista New Scientist e aconteceu depois que Douglas MacAyeal pediu para que seus estagiários de graduação fizessem a digitalização de uma série de fotografias de satélite dos lagos antárticos.

Pressão é a causa

MacAyeal analisou a evidência e constatou que os lagos moviam-se entre cinco e dez vezes mais rápido que a plataforma de gelo que estão inseridos e em uma direção diferente. A explicação, segundo ele, é que a plataforma de gelo sofre pressão por estar presa em um canal estreito entre a ilha de Alexandre e o continente Antártico.

A camada de gelo tem, portanto, suas bordas exteriores espremidas, o que acaba criando uma serie de vales e montes. Como os lagos ficam nessas depressões, eles acabam sendo empurrados ao longo da costa juntamente com as montanhas criadas.

Cupons de desconto TecMundo: