Alemães querem montar espetáculo em estádio para estudar covid-19

1 min de leitura
Imagem de: Alemães querem montar espetáculo em estádio para estudar covid-19
Imagem: Unsplash
Avatar do autor

Um método arriscado para estudar a maneira como a covid-19 é transmitida está sendo proposto por cientistas alemães. Pesquisadores da Universidade de Halle-Wittenberg decidiram lançar um espetáculo em um estádio e convidaram 4 mil voluntários com o objetivo de avaliar três cenários de distanciamento físico, além da eficácia das medidas de segurança, visando descobrir os "limites" do novo coronavírus.

Chamada de RESTART-19, a ideia é que o evento simule situações pelas quais tantas pessoas esperam que retornem à normalidade, como shows e competições esportivas. Depois de realizado, um acompanhamento será dedicado aos aventureiros que quiserem se arriscar a pegar uma doença que já matou mais de 600 mil pessoas no mundo até agora (21).

Objetivo do estudo é descobrir os Objetivo do estudo é descobrir os "limites" do novo coronavírus.Fonte:  Unsplash 

3 cenários, nada de novo

De acordo com a equipe, os participantes serão testados antes e depois do experimento, assim como receberão produtos de higiene para as mãos com uma substância fluorescente que marcará as superfícies que forem tocadas. Os voluntários também deverão usar máscaras o tempo todo.

No terceiro cenário, que será o mais controlado, apenas 2 mil pessoas estarão presentes, e um dispositivo de rastreamento será fornecido a cada indivíduo, para que seja avaliado o respeito às medidas de distanciamento.

É preciso salientar que não se trata de algo necessariamente inédito, uma vez que a abordagem aplicada para prevenir contaminações é justamente a recomendada por cientistas desde o início da pandemia — inclusive a orientação de que máscaras podem ser retiradas quando alguém quiser comer ou beber em locais específicos para isso.

Mesmo com todos os cuidados, o número de casos tende a aumentar com o relaxamento das restrições. Entretanto, aqueles que têm coragem e querem colocar a saúde em risco em nome da ciência agora têm uma oportunidade na Alemanha.