Dois pesquisadores do Max-Planck Institute afirmam que foram capazes de transformar o hidrogênio, elemento mais abundante do universo, em um metal sólido. Como o elemento se trata de um metal alcalino, já se sabia que isso era inteiramente possível – porém, até o momento nenhum laboratório do mundo havia sido capaz de realizar o feito.

Através das condições certas de temperatura e pressão, Mihail Erement e Ivan Troyan conseguiram produzir um material capaz de conduzir calor e eletricidade ligeiramente maleável usando o hidrogênio como base. Os detalhes do trabalho foram publicados em um artigo divulgado pelo periódico científico Nature Materials.

Pressão e temperatura extremas

Para conseguir o feito, os cientistas reuniram células de hidrogênio em uma junta epóxi-alumia e então aplicaram uma pressão extrema usando uma bigorna de diamante. Em temperatura ambiente, o elemento foi exposto a uma pressão de 220 gigapascals, ponto no qual o hidrogênio ficou opaco e começou a demonstrar propriedades condutoras.

Na próxima etapa do experimento, os cientistas abaixaram a temperatura para 400 graus Fahrenheit negativos, aumentando a pressão para 260 gigapascals. Como resultado, o elemento químico aumentou em 20% sua resistência elétrica – segundo os pesquisadores, o resultado final pode ser considerado a primeira amostra da forma metálica do hidrogênio.

Descoberta revolucionária

A partir da publicação do estudo, outros pesquisadores vão tentar replicar o experimento em condições semelhantes. O resultado obtido será analisado de forma a comprovar se Erement e Troyan realmente conseguiram obter hidrogênio com características metálicas.

Caso a descoberta seja comprovada, pode significar uma verdadeira revolução no desenvolvimento de materiais com características supercondutoras. Como os pesquisadores conseguiram desenvolver o metal em temperatura ambiente, o hidrogênio pode se tornar a opção perfeita para transmitir grandes quantidades de energia sem que haja grandes perdas no processo.

Cupons de desconto TecMundo: