(Fonte da imagem: Innovation News Daily)

Pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology (MIT) desenvolveram um novo método para estimular nervos cerebrais que diminui a dor em pacientes com implantes artificiais. Tal descoberta abre caminho para o desenvolvimento de novos chips colocados diretamente no cérebro dos pacientes com efeitos colaterais mínimos.

Atualmente, implantes neurais são usados para aliviar casos de dor crônica, auxiliar pessoas com problemas auditivos e ajudar pacientes que sofrem com epilepsia. O problema com a técnica atual é o fato de que muitos chips também são responsáveis por causar dor excessiva a certos pacientes, devido ao envio descontrolado de sinais elétricos através do cérebro.

Ao ajustar o balanço elétrico dos fluídos que cercam um nervo, a nova técnica do MIT é capaz de acionar tal nervo usando uma corrente elétrica muito menor. Os pesquisadores responsáveis pelo projeto também descobriram como usar menos correntes para bloquear impulsos, viajando através de nervos, o que deve auxiliar no controle de crises de epilepsia e auxiliar pacientes que sofrem de dores crônicas.

Primeira etapa para o surgimento de ciborgues

Ao todo, o time de cientistas do MIT foi capaz de diminuir em 70% a intensidade das correntes elétricas usadas nos implantes cerebrais. A próxima etapa da pesquisa envolve o uso da técnica no estímulo de músculos cujos nervos estejam danificados por algum motivo.

Segundo Jogyoon Han, professor associado de engenharia, ciência da computação e engenharia biológica do MIT, a ideia de estimular músculos de forma funcional existe há muito tempo. Porém, segundo o pesquisador, a implementação de técnicas que permitam o uso de próteses como as vistas na ficção científica ainda está em sua infância. Dessa forma, ao menos por enquanto, ainda estamos longe do futuro visto em jogos como Deus EX: Human Revolution.

Cupons de desconto TecMundo: