Novo mapa 3D revela que a nossa galáxia não é plana, mas retorcida

2 min de leitura
Imagem de: Novo mapa 3D revela que a nossa galáxia não é plana, mas retorcida
Avatar do autor

Há algum tempo estudos haviam sugerido que a Via Láctea não era bem o que parecia... mas um mapa tridimensional e superdetalhado produzido recentemente por cientistas do Observatório Astronômico da Universidade de Varsóvia, na Polônia, revelou que a nossa galáxia, em vez de se esparramar de forma "plana" no cosmos, tem as extremidades torcidas. Se fosse possível olhá-la de perfil, ela pareceria uma colossal batata chips.

Batatão

Embora seja difícil criar uma imagem mental que represente a enormidade da Via Láctea, levantamentos, estudos e simulações apontaram que ela mede cerca de 120 mil anos-luz de uma extremidade à outra e serve de lar para bilhões de estrelas e planetas. Também se sabe, desde a década de 1950, que é uma galáxia em espiral, e ainda existe certo debate envolvendo o número de "braços" que possui: entre dois e quatro, dependendo dos astrônomos consultados, mas parece que a quantidade maior de espirais é a mais favorecida.

 (Fonte: Chen Xiaodian/Reprodução)

Além disso, pensava-se que a nossa galáxia se distribuía de forma plana no cosmos  isso até novos estudos sugerirem que não. O primeiro foi apresentado por astrônomos chineses e australianos no início do ano, com a conclusão de que o nosso lar galáctico poderia ser torcido com base em simulações na observação de outras galáxias.

Galáxia retorcida

Agora foi a vez de a equipe da Polônia chegar a resultados semelhantes, mas para isso os astrônomos conduziram estudos mais detalhados. O grupo, na realidade, está focado em desvendar mistérios sobre matéria escura e a estrutura da nossa galáxia, então vem trabalhando no mapeamento celeste.

O mapa tridimensional que os cientistas produziram foi criado após a análise de milhares de estrelas conhecidas como cefeidas, que consistem em estrelas jovens com menos de 300 milhões de anos. Esses astros também são extremamente brilhantes, produzem cerca de 10 mil vezes mais calor do que o nosso Sol e pulsam em intervalos regulares. A partir da observação desses pulsos, os astrônomos podem calcular o quão brilhantes as cefeidas são e onde elas se encontram.

(Fonte: Observatório Astronômico da Universidade de Varsóvia/Reprodução)

Pois os astrônomos calcularam a localização de 2.431 cefeidas e, com os dados, construíram o tal mapa tridimensional do qual estamos falando, no qual se vê a Via Láctea retorcida. Sobre o que pode ter causado a curvatura dos braços, os cientistas explicaram que pode ser resultado da interação com galáxias satélite, gases e até com a matéria escura.

Além disso, eles disseram que esse método de mapeamento através das estrelas pode ser usado para o estudo de outras galáxias e para explorar a história mais recente da nossa.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Novo mapa 3D revela que a nossa galáxia não é plana, mas retorcida