Cachorro robô super realista faz companhia para idosos

1 min de leitura
Imagem de: Cachorro robô super realista faz companhia para idosos
Fonte: Tombot
Avatar do autor

Pessoas idosas ou com doenças degenerativas, como Alzheimer, muitas vezes não conseguem atender às demandas de um pet, por mais que ter uma companhia canina possa ser um complemento para diversos tratamentos. Pensando nisso e vivenciando a doença de Alzheimer através de sua mãe, o empreendedor Tom Stevens criou um cachorro robótico bastante realista.

Desenvolvido na Califórnia, o cachorro robô é fruto da parceria entre a Tombot, empresa de Stevens, com a Creature Shop, fundada pelo criador dos Muppets e responsável por tornar a tecnologia o mais realista possível.

tombot(Fonte: Tombot/ Reprodução)

Bom para cachorro

O robô tem 16 motores que controlam seus movimentos, como balançar a cabeça e o rabo, além de latir. Os sensores presentes nele também permitem que o cachorrinho entenda comandos de voz e tenha as reações adequadas.

O modelo de teste é um labrador amarelo bebê chamado Jenny que convive com os moradores de uma casa de repouso na Califórnia. O robô não anda, por isso precisa ser carregado em uma espécie de cama.

A Tombot planeja comercializar o cão robô a partir de 2020.

Cupons de desconto TecMundo:

Fontes

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Cachorro robô super realista faz companhia para idosos