Os organizadores da Olímpiada e da Paraolimpíada de 2020, em Tóquio, no Japão, revelaram os dois tipos de robôs e o exoesqueleto que serão usados para ajudar os trabalhadores que atenderão aos visitantes. Eles ajudarão a direcionar as pessoas para os locais dos jogos e seus lugares nos estádios e ainda carregarão bebidas e comidas pelos estádios.

Os robôs, que foram criados pela Toyota, foram apresentadas em dois modelos. O primeiro, chamado Human Support Robot (HSR), terá um braço que será usado para pegar bandejas e cestos; o segundo, chamado Delivery Support Robot (DSR), terá um visual mais próximo de uma grande lata, e será usado para transportar os itens pelos estádios.

Muito trabalho pela frente

Dezesseis robôs serão usados durante os jogos, ajudando os visitantes, em especial aqueles que precisam de auxílio específico, como cadeirantes. "Nós estamos tentando encontrar um meio de ajudar a vida das pessoas. Na Olimpíada de Tóquio, vários visitantes podem estar usando cadeira de rodas, e nós queremos que eles aproveitem os eventos sem precisarem se preocupar com a sua mobilidade", disse o gerente-geral da Toyota, Minoru Yamauchi. A ideia da companhia é que esses robôs sejam aperfeiçoados e possam ser vendidos ao público até 2030.

Imagem: Divulgação/Getty Images

Além dos robôs, foi apresentado um exoesqueleto, criado pela Panasonic, que será utilizado pelos trabalhadores da Olimpíada para carregar itens mais pesados e bagagens dos visitantes. Esse dispositivo não estará em uso nos locais dos jogos, apenas em hotéis e aeroportos.

Imagem: Divulgação/Getty Images

Segundo a Panasonic, os exoesqueletos aumentam a eficiência dos trabalhadores em até 20%, permitindo que carreguem mais peso fazendo menos esforço e, consequentemente, sofrendo com menos dores pelo trabalho pesado.