As inteligências artificiais chegaram num ponto em que se tornaram capazes de criar imagens de pessoas consideravelmente realistas – sendo que, claro, essas pessoas não existem. A Nvidia, por exemplo,  é uma das empresas que mais tem utilizado deep learning e já criou até uma rede geradora adversária (GAN).

O que isso tem de interessante? Hoje, é possível fazer ele gerar imagens convincentes de pessoas que nunca existiram. Esse é o propósito do site “This Person Does Not Exist” que, traduzido, significa "Esta pessoa não existe".

A GAN, a rede neural utilizada pela empresa, trabalha com a separação dos dados de uma inteligência artificial em várias partes. Então, um conjunto de algoritmos - chamado de "gerador" - tenta criar algo que, neste caso, é um rosto humano. Enquanto isso, outro conjunto - agora, um juiz - tenta determinar se a imagem é real ou falsa.

Se o juiz decidir que a imagem é falsa, o trabalho do gerador é recomeçado do zero. Assim que o juiz for enganado pelos algoritmos, um desenvolvedor de IA vai analisar os resultados para descobrir se os algoritmos precisam de ajustes.

A empresa está constantemente aperfeiçoando a IA. Assim, a estrutura da inteligência artificial em questão foi melhorada e atualizada, o que significa que basta atualizar a página e pronto, você verá sempre uma imagem bem convincente de pessoas que nunca existiram.