Lockheed Martin - companhia do setor aeroespacial - apresentou uma proposta de um “lander lunar tripulado” de 14 metros. O veículo deve ser apresentado à Nasa, para seu programa de exploração humana na Lua, lançado desde o início do Governo Trump. Diversas companhias, como a SpaceX, estão desenvolvendo projetos para poder atender a demanda de aeronaves econômicas e viáveis para reutilização durante as missões tripuladas.

A nave da Lockheed Martin recebeu o nome de Orion e deve transportar até quatro astronautas para o espaço profundo e, claro, até a superfície da Lua. Eles poderão permanecer nesse local por até 14 dias até que o veículo espacial possa levá-los de volta para a órbita lunar.  Para se ter uma noção do seu tamanho, é duas vezes maior do que o módulo lunar usado nas famosas missões Apollo, entre as décadas de 1960 e 1970, que tinha capacidade de transportar até duas pessoas para estadias de poucos dias no espaço. Veja aqui o vídeo conceitual do projeto.

Orion deve ter 22 toneladas métricas, necessitando de 40 toneladas adicionais para oxigênio líquido e combustível de hidrogênio, para viajar até a superfície da Lua a partir de um portal. Ele ainda pode ter uma espécie de elevador, com o intuito de levar a tripulação da cabine até esse local. Também deve ser reutilizável, ou seja, ser reabastecido, sendo isso feito no próprio espaço lunar ou até mesmo em órbita. No caso, poderá realizar entre cinco e dez voos.

 As tecnologias empregadas no lander atendem aos requisitos da Nasa. Do mesmo modo, essas características poderiam ser incorporadas para missões em Marte. De acordo com os representantes da Lockheed Martin, caso a nave receba financiamento público da agência, poderia ser construída em tempo relativamente rápido.