Sabe quando você lê cinco vezes o mesmo parágrafo até finalmente conseguir entender e lembrar as informações, e às vezes nem assim a mensagem consegue se fixar? Quem faz parte do mundo acadêmico sabe muito bem qual é a sensação.

Não à toa, foi de um grupo de pesquisadores universitários da Escola de Design RMIT, da Austrália, que surgiu uma ideia para acabar com este tipo de sofrimento: uma nova fonte, que pode ser aplicada em diferentes tipos de textos, tendo como único objetivo o de fazer com que você realmente lembre de tudo o que leu.

Seu nome, Sans Forgetica - em uma brincadeira com a palavra "forget", que significa "esquecer".

Nela, foram aplicados princípios de psicologia cognitiva para criar um efeito chamado de "dificuldade desejável", que consiste em tornar a fonte mais difícil de ler. É isso mesmo que você leu. Ao remover "pedaços" de cada caractere da fonte, os especialistas esperam fazer com que o leitor precise se esforçar para entender e, por isso, lembre melhor de cada trecho que leu.

"A Sans Forgetica foi a melhor em impulsionar a memória porque quebrou apenas o suficiente os princípios do design sem se tornar muito ilegível", disse a dra. Jo Peryman, chefe do laboratório de Comportamento de Negócios do RMIT.

O time envolvido na pesquisa sugere inclusive que a fonte deve ser aproveitada para além dos intermináveis textos acadêmicos. Uma lista de mercado, datas importantes, detalhes fundamentais de uma apresentação no trabalho? Tudo isso pode ser impulsionado com o uso da fonte, de acordo com eles.

A Sans Forgetica já está disponível no site da própria universidade para quem quiser fazer download e instalar em seu computador ou mesmo para usar como extensão do navegador.