O sonho de chegar à Marte e colonizar um outro planeta é antigo e a cada ano que passa parece mais perto, ainda mais com iniciativas como a da SpaceX, de Elon Musk. Embora isso deva demorar muito para se tornar realidade, a NASA vem desenvolvendo diversos projetos relacionados ao tema e um deles é um concurso lançado em 2014, que prevê as melhores ideias para fabricação de moradias no Planeta Vermelho. Eis que os cinco finalistas foram escolhidos.

O 3D-Printed Habitat Competition reuniu 18 equipes do mundo todo em três estágios, com direito a bolsas, e o principal desafio foi projetar modelos de habitação que possam ser fabricados a partir de impressoras 3D — que é a maneira mais fácil, rápida e segura de construir uma estrutura em um local com escassez de recursos.

As casas tinham que ter pelo menos 92 metros quadrados, o suficiente para abrigar quatro pessoas e os pesquisadores precisaram construir sistemas autônomos para sua construção. Assim, elas já estariam prontas assim que os exploradores chegassem em solo marciano. Confira abaixo os projetos que mais agradaram, em ordem crescente, e os prêmios em dinheiro, com base nas pontuações atribuídas por um conjunto de especialistas, formado por membros da agência espacial norte-americana, do meio acadêmico e da indústria.

5. Northwestern University of Evanston, Illinois — US$ 17.881

Essa abordagem se concentra na privacidade, com uma barreira desmontável entre salas e locais de trabalho/sociais. Sua estrutura, que oferece um espaço de convivência em um modelo horizontal, difere significativamente de outras ideias.

4. SEArch+/Apis Cor, Nova York — US$ 19.580

Aqui a inspiração foi na arquitetura nórdica, concentrando em deixar entrar a maior quantidade de luz natural possível.

3. Kahn-Yates de Jackson, Mississipi — US$ 20.622

O design se assemelha a uma concha, que, segundo os autores, prioriza a defesa contra um dos maiores perigos de Marte: as tempestades de poeira. Eles também oferecem uma área de jardim, que poderia fornecer comida e recreação.

2. AI SpaceFactory, Nova York — US$ 20.955

O projeto enfatiza a criação de cilindros para otimizar o uso do espaço em uma construção vertical.

1. Team Zopherus of Rogers, Arkansas — US$ 20.957

O primeiro lugar destaca os robôs autônomos responsáveis por construir as estruturas modulares. Usando o solo marciano, suas máquinas fabricariam tudo a partir do zero, usando o próprio solo marciano como matéria-prima para o “cimento”.

Agora, esses cinco finalistas disputarão uma fase final, marcada para 2019, com uma premiação bem maior, de US$ 2 milhões. As equipes terão que fabricar um modelo real dessas habitações, com um terço do tamanho original.

A disputa está apertada, mas se tem alguém que mais ganhou por aqui foi a NASA, que nem mesmo precisou destacar seus cientistas para desenvolver projetos tão criativos e funcionais. Só resta mesmo conseguir construir isso tudo em Marte.