Uma parceria entre a NASA e a Agência Espacial Europeia (ESA) vai mandar mais um robô para Marte com o objetivo de coletar e analisar amostras de solo do planeta. Um contrato no valor de US$ 5,2 milhões foi fechado com a companhia francesa Airbus para desenvolver o conceito do robô, que já teve seu design inicial apresentado.

Esse trabalho será feito pela equipe da Airbus localizada na cidade de Stevenage, na Inglaterra. Eles foram escolhidos por já estarem trabalhando no ExoMars, que tem previsão de ser enviado para explorar Marte em 2021.

Um robô.Design inicial do robô da Airbus que poderá ser utilizado na missão.

A nova missão vai funcionar em conjunto com a Mars 2020, que vai pegar amostras de solo do planeta, colocá-las em tubos e deixar as unidades espalhadas em pontos pré-determinados. O robô da Airbus teria a função de ir até os locais corretos e recolher esses tubos com um braço mecânico, além de ter um local adequado para o armazenamento da amostra.

A previsão é que o robô demore cerca de 150 dias para coletar todos os tubos. Depois disso, ele precisaria encontrar o local do foguete que o levou para o planeta para então voltar à Terra com as amostras. A principal dificuldade no desenvolvimento será exatamente o nível de autonomia necessário para que o robô consiga planejar essas trajetórias de navegação enquanto está em Marte.

Essa missão é importante porque muitas dúvidas dos cientistas sobre o planeta só podem ser respondidas trazendo pedaços do solo para análise em laboratórios na Terra. Esse contrato atual é para que a equipe da Airbus verifique a viabilidade do projeto. Caso tudo dê certo, o robô deve ser mandado para Marte em 2026.