A equipe brasileira de Engenharia e Inovação da Microsoft Brasil deu passo significativo rumo a uma melhor experiência de locomoção e autonomia para cadeirantes. O grupo aproveitou a ferramenta de rastreamento de globo ocular Eye Control e adaptou as funcionalidades de uma cadeira de rodas motorizada para que os usuários possam controlá-la apenas com o movimento do olhar.

Novidade foi produzida em caráter experimental e ainda não se sabe se chegará ao mercado

Em 2014, a Microsoft AI and Research mapeou o padrão de movimento dos olhos, para que eles funcionassem como um ponteiro de mouse, o que originou o recurso Eye Control, agora presente no Windows 10. Na época, ele foi criado para ajudar o ex-jogador de futebol americano Steve Gleason, que possui a doença neuromuscular sem cura esclerose lateral amiotrófica — a mesma do falecido Stephen Hawking.

O braço nacional da Gigante de Redmond utilizou como base o hardware aberto Arduíno, adaptado para se comunicar com o sistema das cadeiras motorizadas da Ortobras. O software usou a biblioteca de aplicações Eyedrive e conseguiu chegar a funcionalidades mais complexas, a exemplo da Macro de Movimento, que permite ao próprio cadeirante registrar uma sequência de comandos e salvar o conteúdo para que ele possa ser acessado mais facilmente — isso permite que a pessoa possa selecionar um trajeto inteiro por meio de apenas um atalho digital.

steve gleasonSteve Gleason, atleta que inspirou a Microsoft a liderar o projeto de rastreamento ocular Eye Control

Também é possível “digitar com os olhos” e o esquema funciona juntamente com um PC ou um notebook. O mecanismo por enquanto é tratado como experimental, portanto, não deve chegar às lojas tão cedo. Mas, provado o potencial, fica a esperança de que tudo isso amadureça e um dia possa estar no mercado a preços acessíveis.

Cupons de desconto TecMundo: