Atualmente, qualquer veículo espacial que deixe a órbita da Terra — ou mesmo os que circulam nosso planeta — depende de bases em solo para determinar sua localização. Em outras palavras, perder a comunicação com a Terra significa essencialmente se perder no espaço, ficar incapaz de navegar. A NASA, contudo, está trabalhando em uma solução para esse problema e já fez uma demonstração de como resolvê-lo.

Nós estamos falando do “SEXTANT” ou “Station Explorer for X-ray Timing and Navigation Technology” (Tecnologia de Estação de Exploração para Navegação e Temporização via Raio-X). Apesar de o nome não dizer muito e parecer que alguém realmente forçou a barra para conseguir a sigla que queria, trata-se de um sistema que usa um equipamento mais ou menos do tamanho de uma máquina de lavar que foi acoplado recentemente à Estação Espacial Internacional.

NICERNICER, equipamento que permite o funcionamento do SEXTANT

Nesta semana, engenheiros da NASA fizeram a primeira demonstração de como esse sistema é capaz de determinar a localização de uma nave espacial utilizando raio-X para fazer a leitura de feixes eletromagnéticos de “pulsares”, também conhecidas como estrelas de nêutrons.

Esses feixes estão presentes em praticamente todo o espaço conhecido e aparecem de forma muito previsível, tanto na questão do espaço quanto na do tempo. Assim, pesquisadores podem prever quando e onde esses feixes vão aparecer com cálculos baseados em observações prévias. Um sistema capaz de ler com precisão esses feixes, como o SEXTANT, pode então usar raio-X para determinar sua posição em essencialmente qualquer lugar do espaço.

puslarAnimação mostrando o "efeito farol" dos Pulsares, destacando os feixes eletromagnéticos que podem ser identificados pelo SEXTANT

A NASA compara esse sistema com o atual GPS que usamos na Terra para saber onde estamos e traçar rotas para chegar a qualquer lugar. Mas, em vez de uma “constelação de satélites”, o SEXTANT usa uma constelação de estrelas especiais.

Essa demonstração é um grande avanço para futuras explorações em espaço profundo

“Essa demonstração é um grande avanço para futuras explorações em espaço profundo”, disse Jason Mitchell, gerente do projeto do SEXTANT, ao site oficial da agência espacial norte-americana. “Sendo os primeiros a demonstrar navegação por raio-X completamente autônomo e em tempo real no espaço, nós estamos agora na vanguarda”.

O novo equipamento da NASA ainda está em fase de testes e precisa de mais tempo de desenvolvimento antes que possa substituir sistemas de navegação em terra para veículos espaciais.