O governo britânico fez uma declaração oficial hoje (12) explicando que não pretende desenvolver armamento militar completamente autônomo, ou seja, “robôs matadores”. Quem falou sobre o tema foi o Ministro da Defesa do país.

Ele acredita que desenvolver armas que podem ser controladas à distância é uma boa forma de melhorar a segurança dos militares britânicos, mas deixou claro que a política oficial é “mantê-las sempre sob controle e com garantia absoluta de monitoramento, autoridade e responsabilidade humana”.

O ministro das forças armadas também comentou o assunto no mesmo comunicado oficial do governo sobre o tema. “É absolutamente certo que nossas armas sejam operadas por pessoas reais e capazes de tomar decisões incrivelmente importantes”, afirmou.

homem e drone militar

Essas declarações não apareceram do nada, entretanto. Uma série de personalidades da ciência e da indústria, tais como Elon Musk, enviaram uma carta à ONU há algumas semanas pedindo que a organização internacional crie regras para limitar a proliferação e o desenvolvimento de armamento completamente autônomo.

Aparelhos letais semiautônomos já estão sendo criados em várias partes do mundo e, na fronteira entre as Coreias, algumas já estão inclusive em uso.