Depois de franquias mais tradicionais da TV e do cinema — como Star Trek — influenciarem o desenvolvimento de novidades tecnológicas, um dos mais populares super-heróis da atualidade, o Homem de Ferro, está tendo sua principal característica estudada por cientistas. Pesquisadores do Instituto de Tecnologia de Gênova, na Itália, estão avaliando a possibilidade de construir um robô humanoide híbrido, capaz de voar e caminhar.

Daniele Pucci é o líder da pesquisa e publicou no início deste ano um artigo acadêmico acerca do tema. A ideia seria ter um robô versátil o suficiente para fazer reparos ou inspeções em áreas de acesso difícil para humanos. A eventual construção de um aparelho como esse também poderia servir como base para o exoesqueleto capaz de levar seres humanos pelos ares, bem ao estilo Tony Stark.

O que os pesquisadores criaram foi basicamente os mecanismos teóricos que seriam necessários para controlar o voo do robô, como posição dos braços e pernas para que ele pudesse ir de lado para o outro, para cima e para baixo. Pucci admite que, tornar um projeto como esse realidade seria bastante complicado, considerando que seria necessário criar todo um novo sistema de voo que ainda não existe.

Entretanto, Richard Browning, um inventor britânico, já conseguiu fazer algo similar. Só que, no lugar de um robô, ele usou seu próprio corpo como “máquina voadora”. Browning descreveu todo o processo que o levou a construir seu equipamento e também detalhou os testes que fez incialmente.

Note que um dos primeiros modelos de Browning previa jatos nas pernas, assim como vemos no conceito do robô dos pesquisadores italianos. Mas parece que essa ideia não rendeu muitos resultados, considerando que os joelhos humanos não ficam totalmente travados em uma posição como seria necessário.

Você pode conferir a pesquisa completa dos italianos Daniele Pucci, Silvio Traversaro e Francesco Nori através deste link. Caso queria ver mais voos de Richard Browning, clique aqui.

Cupons de desconto TecMundo: