Em abril de 2016, a parceria inusitada entre HTC e Valve – a criadora de Half-Life e da plataforma de jogos Steam – acabou dando origem a uma das melhores ferramentas de realidade virtual do ano nos PCs: o HTC Vive. Agora, durante a sua participação na CES 2017, a fabricante taiwanesa resolveu que o gadget não vai ficar parado no tempo e que, ao longo dos próximos meses, deve receber uma série de melhorias e adições. A mais bacana delas? Um acessório que amplia as capacidades de leitura de movimento do gadget.

Anunciado durante a conferência da empresa e disponível para testes no saguão de estandes do evento, em Las Vegas, o Vive Tracker parece ter como principais objetivos dar mais liberdade aos desenvolvedores do ramo e permitir que as experiências VR fiquem ainda mais imersivas para o público final. Afinal, a ideia é que o periférico possa ser acoplado facilmente a uma série de objetos, fazendo com que esses itens sejam detectados de forma convincente pelos sensores laser que acompanham os óculos de realidade virtual.

Pequeno e muito útil

Um acessório para todos dominar!

Para facilitar essa integração do novo produto com o HTC Vive original, o acessório é bastante leve e diminuto, pesando apenas 85 gramas e ostentando um tamanho um pouco menor que a parte superior dos controles originais dos óculos VR. Como a bateria integrada ao aparelho dá uma autonomia de cerca de 6 horas de diversão, o mais provável é que ele esteja sempre carregado e aguente até mesmo sessões mais prolongadas de jogatina ou exploração dentro dos ambientes digitais.

Calma, não pense que vai ser possível grudar o Vive Tracker em qualquer coisa na sua casa e que os jogos e aplicativos vão entender automaticamente o que você quer transportar para o mundo virtual. É preciso que os programadores deem suporte a determinados objetos ou periféricos antes de essa interação estar disponível aos usuários. Para acelerar esse processo, a HTC planeja distribuir ao menos mil unidades do dispositivo a desenvolvedores e parceiros durante todo este primeiro semestre de 2017.

Alguns dos acessórios possíveis com o Vive Tracker

Dando um gostinho do que será possível fazer com a novidade, os taiwaneses levaram algumas Demos e itens já integrados ao acessório à CES, para deleite da imprensa. Entre as opções mostradas por lá, estão uma espécie de câmera VR para complementar um game de fotografia virtual, um par de luvas que dá muito mais precisão na hora de manusear objetos ou fazer gestos em ambientes digitais e um bastão de beisebol real que, com o leitor de movimento em sua base, dá uma boa dose de realidade às partidas do esporte.

O produto deve chegar ao mercado no segundo trimestre deste ano

Segundo Daniel O'Brien, vice-presidente de realidade virtual da HTC, a ideia por trás do Vive Tracker é ser um jeito fácil e prático de criar novos periféricos para a família Vive VR. Ao que parece, não vamos precisar aguardar muito para saber se essa empreitada vai vingar, pois o produto – ainda sem preço definido – deve chegar ao mercado no segundo trimestre deste ano. Espera-se que o tempo seja utilizado para refinar o gadget, já que alguns jornalistas reclamaram de um pequeno atraso na detecção de movimentos durante as Demos.

Mais conforto e liberdade

Além do brinquedinho já mencionado, o executivo falou sobre outras melhorias mais pontuais para os óculos de realidade virtual da casa. Uma delas é o Vive Deluxe Audio Strap, um novo conjunto de alça para prender o HTC Vive à sua cabeça. Diferentemente das faixas e dos ajustes convencionais, o novo kit deve trazer um estilo visual, um conforto e uma facilidade de uso bem próxima da montagem do PlayStation VR. Achou pouco? Bem, saiba que ele ainda vem com fones de ouvido integrados, fechando muito bem o pacote de imersão.

Mais fácil, mais prático e, possivelmente, mais confortável

Se os fones embutidos já devem agradar alguns usuários que querem se livrar de cabos desnecessários na hora de se aventurar no universo digital, a outra novidade da vez tem tudo para abrir alguns sorrisos por aí. Isso porque, de acordo com O'Brien, a HTC pode estar trabalhando com a Intel para implementar uma tecnologia wireless ao seu headset VR – chamada WiGiG –, permitindo que o cabo que conectar o aparelho ao PC seja eliminado de vez do conjunto. Isso pode significar o fim de tropeços, desconexões e outros acidentes.

Enquanto o Audio Strap está programado para sair até o final deste semestre, o corte do “cordão umbilical” ainda não tem data para ocorrer. E aí, já está guardando uma graninha para comprar o pacote completo de realidade virtual da HTC ou prefere esperar os preços ficarem um pouco mais razoáveis? Dê a sua opinião na seção de comentários e continue acompanhando o TecMundo para saber tudo que está rolando na CES 2017.

Cupons de desconto TecMundo: