Recentemente, muitos internautas afirmam ter descoberto uma nova “doença” afetando quem exagera no uso do celular. Trata-se do “Mindinho de Smartphone”, um problema que faz com que o dedo mindinho da pessoa acabe entortando – resultado, como você deve imaginar, do uso exagerado desse dedo para apoiar seu dispositivo móvel.

O pânico começou com um tweet de alerta enviado pelo perfil da NTT Docomo (uma operadora celular japonesa) no começo de 2015. Nele, a empresa avisou dos efeitos colaterais que usar o mindinho para apoiar seu aparelho estariam causando: as juntas do dedo passariam a apresentar um formato curvado, como se tivessem sido danificadas pelo esforço excessivo.

Foi então que pessoas por todo o mundo começaram a enviar posts pela internet, dizendo ter exatamente o mesmo problema. É claro que o caso virou piada para muita gente; na sua grande maioria, dizendo que toda a nossa geração está fadada a sofrer com essa doença, já que não há chances de abandonarmos os smartphones.

Como se não fosse suficiente, alguns disseram até mesmo ter outro tipo de problema com o mindinho de smartphone, pois o dedo em si entorta para o lado:

“Eu tenho um verdadeiro dano causado pelo iPhone. Meu dedo entortou e não quer ficar reto. Preciso mudar o jeito que eu seguro meu celular.”

É provável que, a esse ponto, muitas pessoas já tenham olhado para as próprias mãos e notado ter o dedo deformado como mostrado nas fotos. Mas antes que você entre em pânico, olhe para a outra mão – aquela que você não usa o tempo todo para segurar o celular – e as compare.

Notou que ele também está com defeito? Pois é. Não se trata de qualquer doença, mas sim do formato normal das juntas de seu mindinho; mas, como muita gente não se deu ao trabalho de observar isso, o “mindinho de smartphone” acabou por se tornar uma doença extremamente preocupante para o público.

Um problema com bases reais

“Então podemos voltar a usar nossos celulares normalmente, TecMundo?” Não é bem assim, na verdade. Embora o mindinho de smartphone não seja realmente algo com que se preocupar, ele serve para nos lembrar de que o uso excessivo desses aparelhos vai cobrar seu preço de nossas mãos.

O fisioterapeuta e osteopata Tim Allardyce explica bem os problemas que podem ser causados por isso, de fato. “O uso regular de celulares, especialmente usando o celular para mensagens de texto ou para digitar emails, pode causar movimentos repetitivos do dedão e dos dedos, com os dedões sendo os mais superusados”, explicou ao site Mail Online.

Não precisa se preocupar: seu mindinho tem esse "calombo", mas são apenas suas juntas

“A curto prazo, isso pode causar hipermobilidade das juntas ao redor dos dedos e dedões, visto que os ligamentos podem se tornar levemente esticados. A longo prazo, com um período de décadas, o uso exagerado dos dedos e dedões pode causar osteoartrite com a degeneração da cartilagem entre as juntas.”

Parece ruim? Ainda tem mais: “Quando os dedos se tornam artríticos, eles tendem a formar um excesso de osso ao redor das juntas que pode aumentar e deformar as juntas dos dedos e dedões. Menos comumente, segurar o celular em certo ângulo repetidamente por longas horas pelo dia pode causar algum desvio dos dedos em pessoas com juntas hipermóveis”, explicou Allardyce. Ao menos, segundo ele, algo assim é raro de acontecer e não é perigoso para nossa saúde.

Por mãos mais saudáveis

Allardyce explica, no entanto, que tudo é uma “questão de equilíbrio”. Embora as pessoas não precisem deixar de lado o celular, pode ser uma boa ideia não o usar para escrever longas mensagens todas as noites, por exemplo.

“Tente segurar seu celular por menos tempo cada dia ou use um apoio para celular com um kit de mãos livres que possa reduzir o uso”, sugeriu. Outra opção também é dar uma chance para os comandos por voz, que podem ajudar na hora de escrever uma mensagem sem forçar os dedos.

Você sofre com “mindinho de smartphone”? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: