O mundo dos celulares não é mais como antigamente: a ampla maioria dos dispositivos estão até certo ponto padronizados, apresentando um design muito parecido – ao menos no que se refere ao formato retangular.

É um claro contraste com a era pré-smartphone, quando os aparelhos contavam com formatos diversos, fossem eles quadrados, redondos ou mesmo ovais. Mesmo assim, ainda há fabricantes que se esforçam para diferenciar um pouco seus dispositivos, com opções mais variadas. Conheça alguns modelos que apresentaram diferenciais neste ano:

Huawei Honor 7i 

A fabricante chinesa Huawei apresentou um novo e diferente smartphone para o público chinês. Trata-se do Honor 7i, que conta com duas novidades no design que se distanciam bastante do visual dos dispositivos atualmente no mercado.

Para começar, o celular possui uma câmera com flip. Ao girar o conjunto com sensor, lente e flash para cima, você faz com que o mesmo sistema de 13 MP da câmera traseira aja como frontal — o que significa que os mesmos recursos e qualidade serão mantidos em selfies ou retratos convencionais.

O recurso não é original: o Oppo N3 já usou algo parecido, mas o esquema foi simplificado no celular da Huawei. A empresa garante que ele é durável (até dois anos se você girá-lo 132 vezes por dia) e que a ideia não é só bonita: o espaço de sobra é usado para outros componentes, e o uso de uma só câmera barateia a produção. Além disso, há outra novidade no design: o sensor biométrico fica na lateral do aparelho. 

 LG V10

A LG também trouxe um pouco de revolução ao apresentar o V10. Para não ficar na "mesmice" dos dispositivos atuais, a empresa apostou em uma série de recursos extras para este modelo, como um display secundário, duas câmeras frontais e um modo manual para configurações mais complexas de fotografia e captura de vídeo na câmera traseira. Em especificações técnicas, ele é uma leve evolução em relação ao LG G4.

Essa espécie de "segunda tela" do V10 é uma pequena barra que fica alinhada com os sensores das câmeras frontais e permanece sempre ligada, mesmo que o display principal esteja bloqueado.

Ela funciona como uma barra de notificações e exibe horário, calendário e ícones de chamadas ou redes sociais. Com as duas telas operando ao mesmo tempo, a secundária vira uma espécie de atalhos multitarefas para produtividade e organização. A LG diz que isso "não impacta na vida da bateria”.

Samsung Galaxy S6 Edge 

Um dos celulares mais caros já produzidos pela Samsung é também um dos mais bonitos e potentes já apresentados pela empresa. Com bordas curvas, a tela do Galaxy S6 Edge é um espetáculo à parte, dando uma sensação de infinidade ao corpo do aparelho. O recurso diferenciado também serve para exibir notificações e identificar as ligações que você recebe.

Mas, ao menos por enquanto, a utilização dos recursos do display lateral é limitada. Entretanto, o visual é bonito e em muitos momentos as funções Edge deixam a tela principal mais livre para o usuário. Esse ainda está longe de ser um item fundamental nos celulares, mas é algo que tem potencial para ser explorado no futuro.

Sony Xperia Z5 Premium

A Sony apresentou três novos aparelhos para o público neste ano: o Xperia Z5, o Xperia Z5 Compact e o Xperia Z5 Premium. Os novos smartphones trazem como destaques as câmeras poderosas, as baterias capazes de oferecer até dois dias de autonomia e o design familiar que todos nós já conhecemos.

Entretanto, a versão Premium do Z5 traz um diferencial ainda exclusivo para o mercado: um display com resolução de 3840x2160 pixels (UltraHD), também conhecido como 4K. Esse "exagero" – lembrando que ainda não são todos os top de linha que trazem a resolução QHD (2560x1440 pixels) –, de acordo com a Sony, será capaz de oferecer uma experiência de tela sem precedentes.

Em combinação com a capacidade de capturar, reproduzir e compartilhar vídeos em 4K, o Xperia Z5 Premium conseguirá atender uma demanda ainda inexistente no mercado. A densidade de pixels de 806 ppi oferece uma visibilidade clara e praticamente sem pontos visíveis na tela. Será que já está na hora de todas as fabricantes partirem para o 4K?

Motorola Droid Turbo 2 

O Motorola Droid Turbo 2 apresenta um hardware de ponta e um design bonito, mas o grande destaque do modelo está na tela. Isso não se dá apenas pelas 5,4 polegadas de display OLED Ativo (AMOLED) nem pela resolução Quad HD. Ela se destaca pela resistência oferecida aos consumidores. Sendo chamada de ShatterShield, a tela promete resistência profunda a impactos, oferecendo ainda quatro anos de garantia contra quebras.

A tela ShatterShield é protegida por cinco níveis diferentes. Na primeira camada, está uma proteção externa que foi criada especialmente para impedir que superfícies abrasivas causem danos e arranhões à tela. Logo abaixo vem uma segunda camada com um escudo de alta resistência e transparência para evitar quebras.

Depois vem uma camada Dual Touch com dois filmes sensíveis ao toque, que pode garantir o uso perfeito no caso de possíveis acidentes com o display principal — representado pelo filme mais externo. Exatamente: caso ocorra algum dano com o painel de reconhecimento capacitivo, um secundário assume o papel e se mantém em plenas capacidades.

Somente depois de tudo isso é que surge o painel AMOLED flexível que também é capaz de absorver pequenos choques para impedir danos. Por fim, um chassi de alumínio garante durabilidade e integridade às estruturas. Uma ótima notícia para quem vive derrubando o celular por aí, não é mesmo?

*****

Queremos saber a sua opinião!  

Qual foi o celular mais inusitado de 2015 e porquê? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: