(Fonte da imagem: iStock)

A empresa de advogados Bernstein Liebhard LLP, representante de diversos clientes de processos por radiação de celulares, está chamando a atenção por trazer um estudo sobre os perigos causados pelos aparelhos.

Segundo a notícia postada no Digital Journal, a pesquisa feita pela Autoridade de Radiação e Segurança Nuclear da Finlândia revelou que uma hora de radiação de celulares pode causar o encolhimento das paredes dos vasos sanguíneos, permitindo que substâncias perigosas “vazem” no cérebro. Vocês já devem ter entendido toda a ideia.

Uma pesquisa pouco confiável

Mas o motivo que chamou a atenção do público não foi a pesquisa, e sim a data do estudo em que a empresa se baseou: segundo o BGR, a pesquisa foi feita em 2002. De lá para cá, os celulares mudaram muito, o que está ajudando consideravelmente a desacreditar os advogados.

Para piorar, muitos estão acusando o grupo de usar um método “sujo” para esconder a idade da pesquisa: no lugar de enviar um link direto para o artigo, os advogados disponibilizaram uma página do Daily Mail que falava sobre o estudo – a notícia, por ser antiga, não possui data.

Mesmo assim, esse acontecimento não poderia vir em pior hora, visto que isso pode afetar negativamente os estudos que serão reabertos pela FCC sobre a ligação dos celulares com o câncer. Será que estamos para ver os smartphones terem sua comercialização proibida? É melhor torcer para que não...

Cupons de desconto TecMundo: