Segundo informações de fontes do jornal americano The New York Times, a companhia Uber teria retirado seu lance de US$ 3 bilhões (aprox. R$ 9,3 bilhões), dado na tentativa de adquirir o HERE Maps. Outras multinacionais que também estavam interessadas no serviço de mapas da Nokia, como Baidu e Tecent também estão fora da briga.

O motivo, além do preço exorbitante que está sendo pedido, de US$ 4 bilhões (aprox. R$ 12,6 bilhões), seria o foco da companhia finlandesa nas negociações com um consórcio de montadoras alemãs, formadas por BMW, Audi e Mercedes-Benz. As três empresas utilizam o HERE Maps nos sistemas de navegação e entretenimento de seus carros, e supostamente cada uma teria feito uma proposta individual de compra pelo serviço de mapas antes de unirem seus esforços.

No entanto, o valor continua sendo um ponto problemático nas conversas entre a Nokia e o consórcio alemão, que tenta baixar um pouco o montante de dinheiro que precisaria ser reunido para a realização do acordo. Isso deve empurrar qualquer anúncio de venda no mínimo para o mês de agosto, embora ainda exista uma chance da negociação não se concretizar e outras empresas poderem voltar a dar lances, como a já citada Uber.

Com a Google testando um programa de transporte coletivo em Israel, conforme informamos aqui, seria interessante para a companhia de caronas pagas ter o seu próprio serviço de mapas, em vez de depender de um possível concorrente para seus negócios. Ainda mais se considerarmos que o HERE Maps domina o mercado de mapas voltados para quem está atrás do volante, diferente dos serviços da Google e da Apple, por exemplo, que são mais focados em serviços.

Qual grupo você acha que leva o HERE Maps para casa? Deixe seu palpite no Fórum do TecMundo