Você provavelmente já conheceu aqui no TecMundo toda a potência e grandiosidade do Bloodhound SSC, um carro supersônico que tem a pretensão de chegar a 1.600 km/h. Por trás dessa máquina poderosa, entretanto, moram muitos perigos.

As rodas de alumínio do Bloodhound giram 170 vezes por segundo (10.200 rpm), gerando uma força centrípeta absurdamente alta — caso você não se lembre das aulas de Física, trata-se do direcionamento de um corpo que realiza um movimento circular e, por conta da rotação, é acelerado.

Se um pedaço da roda se desprender ou uma pequena pedra danificá-la no meio do caminho, o veículo poderia ter o cockpit de fibra de carbono facilmente perfurado por esse fragmento — que, viajando tão rapidamente, também seria letal para o piloto humano. Por isso, a Morgan Advanced Materials anunciou a produção de um painel à prova de balas extremamente leve para compor as duas laterais do Bloodhound.

O painel tem uma espécie de tecido com milhões de fibras de vidro que tem como objetivo absover eventuais impactos de objetos a acelerações extremas. A ideia é também não comprometer o desempenho do piloto Andy Green, que busca bater o recorde mundial de velocidade com o Bloodhound. Para testar a criação, um projétil equivalente a uma bola de tênis a 3.218 km/h foi disparado contra a proteção. Quem será que levou a melhor?