(Fonte da imagem: Divulgação Cadillac)

Hoje quando falamos de tecnologia automobilística, grande parte dos resultados são em relação aos combustíveis verdes e as mais diversas maneiras de diminuir o impacto ambiental provocado pelos milhões de automóveis em circulação diariamente no mundo.

Mas por outro lado, às vezes parecemos esquecer todos os detalhes que fizeram desse “meio de transporte” um verdadeiro estilo de vida. Conforto, design e tecnologia estão andando de mãos dadas para que os carros se tornem cada vez mais o sonho dos consumidores.

Segurança acima de tudo

É curioso lembrarmos de como eram os casos há 20 anos atrás. Cintos de segurança de dois pontos, poucos testes de impacto, nada de air bags e muito menos ABS. Aliás, basta acompanharmos essa comparação de um crash test para notarmos como as coisas evoluíram nesse sentido.

Mas a evolução nesse campo não para. Hoje já é possível encontrarmos carros com visão noturna e sensores de fadiga.

Visão Noturna: Infelizmente ainda são poucos, mas automóveis com essa tecnologia são muito mais seguros para se dirigir a noite. Ele implementam uma câmera com infravermelho ou amplificação de luz que mostra o que há a frente do carro e transfere as imagens para um monitor secundário localizado em algum lugar do painel.

Sensor de fadiga: Cochilar enquanto se dirige a noite é algo que pode acontecer com qualquer pessoa. Às vezes, na pressa, esquecemos que nosso corpo também precisa de descanso e uma sonolência de poucos segundos é suficiente para nos colocar em problemas. É por isso que novos modelos de carros estão adaptando sensores que monitoram o motorista e avisam sempre que haja a indicação de cansaço.

Também precisamos de conforto

Um dos principais problemas das estradas são os buracos. Principalmente em nosso país, onde sofremos muito com isso. E um asfalto esburacado é sinônimo de desconforto. Se lembrarmos de antigamente, os carros não possuíam suspensão alguma e esse foi um item com forte evolução.

Agora, além das suspensões hidráulicas, carros de alto nível estão começando a receber suspensões magnéticas. Não, essa suspensão não faz o carro levitar como você pode imaginar, mas sim ela altera magneticamente as propriedades do óleo que está presente no sistema, podendo deixa-la mais firme ou mais solta em milissegundos. Ou seja, esse sistema adapta a suspensão ao terreno em tempo real, sem que o motorista sinta nenhuma diferença.

E os carros estão ainda cada vez mais perto de não precisar de motoristas...

... O que, convenhamos, seria o cúmulo da conveniência. Claro que tal sistema ainda levará alguns anos para ser aplicado com segurança, mas cada vez mais nos deparamos com casos de testes de sucesso.

Um dos exemplos é o da BMW. Um novo teste da empresa foi capaz de fazer com que um carro viajasse de Munique até Nuremberg na Alemanha (aproximadamente 160 kms) por uma via de alta velocidade sem qualquer interação com o carro por parte do motorista.

Segundo um dos responsáveis pelo desenvolvimento dentro da empresa, há a opinião de que isso chegará ao público daqui 10 a 15 anos.