Quando falamos de carros autônomos, uma das primeiras imagens que vem à cabeça são dos (muitos) sensores presentes no veículo que permitem que ele ande por conta própria. Seja por radar, ultrassom ou os famigerados LiDAR, até agora a função primordial deles era conseguir mapear os arredores do automóvel, mas, se depender da Texas Instruments, eles também vão olhar pra dentro.

Além de cuidar dos eventuais perigos nas ruas, o radar AWR1443 monitora o condutor do carro com a ajuda de um sensor de proximidade que conta com resolução o suficiente para permitir que sejam utilizados comandos por gestos e também verificar se o motorista está prestando atenção ou não.

O sensor faz parte de uma linha de radares que estão sendo testados no segmento automotivo para aguentar vibrações e temperaturas extremas, além de poder identificar objeto em um espaço de 5 a até 200 metros do veículo. Eles são os mesmos utilizados para permitir que os carros atuais consigam usar funções como o cruise control adaptativo, por exemplo.

O diretor de marketing de radares automotivos da Texas Instruments, Sudipto Bose, argumentou que o radar dentro do veículo pode ter uma série de benefícios – alguns deles bem... desnecessários, como é o caso de avisar os pais que eles deixaram uma criança dentro do carro.

Por outro lado, pode ser a chance de popularizar o controle da central de infotainment através de gestos, algo que já existe na série 7 da BMW. Para finalizar, o radar pode identificar se o motorista está com sua atenção voltada para o para-brisa ou não, com o intuito de enviar alertas e evitar que o condutor durma ao volante.