Uma das coisas mais maneiras para nós que gostamos de carros é ver que não somos uma raça esquecida. Não estamos fadados a desaparecer e ser só uma lembrança que vai virar chacota na boca da garotada que vai viajar por aí em carros que sequer vão ter volantes, quem dirá fazer barulho.

A montadora chinesa NextEV foi a responsável por levantar mais um estandarte importante para os gearheads, ao colocar o seu superesportivo elétrico NIO EP9 para correr em um dos circuitos mais desafiadores do mundo e que é considerado um templo sagrado da velocidade: Nürburgring Norsdschleife.

Mas não foi só correr: foi destroçar o recorde absoluto para carros de produção com motores à combustão, que antes pertencia a ninguém mais, ninguém menos que a Lamborghini Huracán Performante, que percorreu os 20 quilômetros do circuito em 6 minutos e 52 segundos. O EP9 fez o mesmo trajeto em 6 minutos e 45 segundos, nas mãos do piloto Peter Dumbreck – e eles fizeram um vídeo para mostrar tudo, com um som que é, no mínimo, curioso:

Recorde com ressalvas

Mas existem alguns detalhes a respeito desse recorde: sim, o NIO EP9 foi mais rápido que a Lamborghini e também que o Porsche e outros vários superesportivos à combustão, mas ele se utilizou de alguns itens que seus concorrentes queimadores de gasolina não usaram.

O primeiro ponto são os pneus slicks, muitíssimo similares aos que são utilizados em carros de corrida – os veículos que estabelecem seus recordes em Nürburgring usam, na medida do possível, pneus convencionais que são os mesmos presentes nos automóveis que estão disponíveis para venda. Ou seja, a menos que o NIO EP9 seja vendido com slicks para andar na rua, o que seria ilegal, não dá para dizer que as condições eram iguais.

O segundo ponto é que, apesar de o recorde se tratar de veículos de produção, não dá para considerar que o elétrico da chinesa NextEV seja considerado como tal: segundo a montadora, foram apenas sete unidades montadas com um chassi e propulsores próprios, além do fato de que o modelo usado para a quebra do recorde foi concebido especificamente para essa finalidade.

O (quase) rei elétrico

O NIO EP9 foi construído em parceria com a equipe de Formula E da montadora e é movido por quatro motores elétricos de 340 cv cada e que são acoplados a quatro transmissões individuais, o que dá um total de 1.360 cavalos de potência – ou 1 megawatt – e absurdos, insanos, obscenos 644,7 kgfm de torque, um dos principais atrativos de performance dos motores movidos a energia elétrica.

Sua concepção é revolucionária porque, até agora, os veículos elétricos batalham contra alguns aspectos que atrapalham bastante o desempenho desses carros: o altíssimo peso das baterias e, quando usado de forma “menos civilizada” durante muito tempo, tende a esquentar demais – é por esse motivo que, apesar da aceleração absurda, não vemos Tesla Model S se dando bem em circuitos por aí. Esses foram dois pontos que o NIO EP9 conseguiu tirar de letra.

Além do recorde em Nürburgring, o modelo da NextEV também quebrou a marca no Circuit of the Americas, o COTA, nos Estados Unidos. Só tem um detalhe: ele fez isso com e SEM um piloto, se tornando o veículo mais rápido a percorrer a pista de forma autônoma com o tempo de 2 minutos e 40 segundos.

Cada EP9 é vendido por aproximadamente US$ 1,5 milhão, o que dá cerca de R$ 5 milhões. Além das sete unidades produzidas até hoje, a montadora espera produzir mais 10 carros para ser vendidos no futuro.