Carros movidos à hidrogênio não são de fato nenhuma novidade, mas com todas as complicações envolvidas na instalação e segurança das células de energia, o fato é que, apesar dos investimentos milionários gastos na tecnologia, nenhum projeto comercial chegou ainda em grande escala às ruas das cidades.

Esse panorama cinza pode mudar em breve se depender da empresa inglesa Riversimple, que acabou de exibir um protótipo reinventado de um carro à hidrogênio chamado Rasa que é capaz de rodar pelo menos 480 quilómetros com apenas uma recarga.

O engenheiro e empresário Hugo Spowers está por traz do Rasa, que utiliza um supercapacitor na parte da frente para acumular a energia elétrica gerada pelo hidrogênio e pequenos motores elétricos nas rodas. Na parte de trás do veículo, são acomodados o tanque de combustível e as células de energia. Um dos diferenciais do protótipo que comporta até duas pessoas é o peso diferenciado: apenas 520 quilogramas (quase metade do que carros pequenos com motores de combustão interna pesam).

A aceleração vigorosa é acompanhada por ótimos freios que, diferente dos modelos tradicionais, não causam nenhum tipo de fricção. Quando o pedal do freio é pressionado, um mecanismo inverte a rotação dos motores elétricos presentes nas quatro rodas, que passam a aproveitar o embalo para se transformar em geradores. O processo, conhecido como frenagem regenerativa, é bastante eficiente e recupera aproximadamente 50% da energia cinética aplicada.

Pelo menos por enquanto, não há previsão para que o Rasa chegue ao mercado. Veículos elétricos, principalmente os da Tesla e os da Toyota, contam com postos de recarga nas principais cidades da Europa e dos Estados Unidos. A situação é diferente para os carros movidos a hidrogênio, que precisarão de investimentos bilionários para que a rede de postos seja significativamente expandida.