Com seu motor em W de 16 cilindros, 64 válvulas e 4 turbocompressores, o Bugatti Veyron atinge a impressionante marca dos 1001 cavalos de potência. O cobiçado superesportivo é atualmente o mais veloz do planeta com a impressionante marca dos 407 km/h. No entanto, isto chega a parecer pouco perto do que um grupo de britânicos promete com seu novo projeto. Conheça o carro supersônico que deve impor o surpreendente recorde de 1610 km/h em veículos terrestres.

Potência de um avião a jato

Almejando roubar o título alcançado em 1997 pelo Thrust SSC de 763 mph (ou 1.228 km/h), o Bloodhound SSC quer bater a marca das 1000 mph (1610 km/h aproximadamente). A sigla SSC significa “SuperSonic Car”, e não é de se estranhar que carros tradicionais não cheguem perto desta marca. Para vencer as forças de resistência, seu design altamente aerodinâmico está muito mais próximo de um avião a jato do que de um carro de passeio. Já as suas rodas são feitas de puro aço para resistir as imensas forças de atrito criadas pelo solo.

Um novo recorde de velocidade está a caminho

A máquina de 6,5 toneladas conta com um único motor de combustão interna de V12 de 800 cavalos de potência. Ao contrário do que se pode pensar, este é necessário apenas para dar seu primeiro impulso. Depois de atingir certa velocidade, entra em ação um foguete de 400kg de combustível híbrido e uma imensa turbina militar EJ200 Eurofighter Typhoon, a mesma utilizada em grandes aviões à jato. Ao todo, os três motores somam 135 mil cavalos de potência, o equivalente a 180 carros de fórmula 1 ou mais de 1600 carros populares.

A turbina usada no Bloodhound SSC

Quando ele vai para as pistas?

Os testes com o veículo estão agendados para 2011 no lago seco de Pan Hakskkeen, na África do Sul. O piloto Andy Green também já confirmou sua participação, o mesmo que ajudou a bater o recorde atual. Nos 16 km de extensão, o Bloodhound SSC pretende atingir sua velocidade máxima em apenas 40 segundos. Andy que se prepare, o carro deve exercer sobre ele uma pressão de 2,5 G na aceleração e 3 G na desaceleração.

O projeto tem o patrocínio do Ministério da Defesa britânico, que emprestou o foguete e a turbina da empresa Lockheed Martin, e da Intel, que colaborou com a rede de computadores para o projeto. O site oficial do projeto está aberto a doações espontâneas e está disposto a colocar o nome de todos seus patrocinadores nos créditos.

Parece um avião sem asas

Pena que nem todos poderão sentir na pele a sensação única de se pilotar um veículo terrestre a 1600 km/h. Um carro assim não é projetado para se locomover em pistas e ruas convencionais, é provável que muitos de seus colaboradores não cheguem a vê-lo pessoalmente. Maiores notícias sobre o Bloodhound SSC e seu feito estão por vir.