A maioria das pessoas que possuem veículos e precisam passar regularmente por áreas de grande tráfico já devem estar acostumadas ao EstaR – Estacionamento Regulamentado. Embora seja uma forma eficiente de garantir a rotatividade no uso de vagas em locais de grande acesso, este sistema sofre com alguns problemas que o impedem de ser totalmente funcional.

O primeiro deles sem dúvida se trata da falsificação: em cidades como Curitiba, cerca de 30% dos cartões utilizados tem origem ilegal e se tratam de meras cópias do original. Porém, o principal motivo de reclamações e dor de cabeças para os motoristas vem como resultado da dificuldade de obter o cartão de regulamentação em certos lugares ou renovar o cartão atual para poder utilizar a vaga ocupada durante mais uma hora. Isso porque nem sempre é possível encontrar um fiscal responsável na hora em que o carro é estacionado, ou sair de alguma reunião ou compromisso importante para trocar o cartão.

Porém, esta situação tende a mudar com a implementação de um sistema de EstaR eletrônico que permite ao motorista comprar créditos e renovar o período de utilização da vaga ocupada através do celular, mais ou menos como um cartão pré-pago utilizado pelas operadoras telefônicas. Curitiba será a primeira cidade a adotar este sistema, que já foi aprovado em votação pela Câmara Municipal e sancionado pelo prefeito Beto Richa.

Renove o estacionamento através do celular

O sistema funciona da seguinte forma: o motorista pode comprar créditos de qualquer valor em pontos de venda que dispõe do serviço e deve fazer um cadastro de quantas placas de carro quiser em um mesmo número de celular. Ao estacionar o veículo, o usuário envia uma mensagem SMS para acionar o EstaR, que torna válida a utilização da vaga durante o período de uma hora. Caso seja necessário utilizar mais tempo, basta enviar outra mensagem para que o período de tempo seja renovado, algo muito mais prático do que voltar ao veículo e trocar manualmente o cartão anterior.

A medida visa tanto diminuir o número de multas resultantes da falta de utilização dos cartões atuais quanto diminuir a utilização de talões pirateados: muitas pessoas, ao não encontrar um fiscal de trânsito na hora de estacionar o carro, acabam comprando cartões com pessoas pouco confiáveis que geralmente disponibilizam o produto falsificado. Vale mencionar que os talões tradicionais não deixarão de ser vendidos e será possível utilizados tranquilamente mesmo após a adoção do EstaR eletrônico.

Além de proporcionar um método mais seguro de fiscalização, o EstaR eletrônico trará uma série de vantagens para os motoristas da capital. O projeto prevê a adoção de mensagens automáticas que avisem o usuário quando o tempo de permanência do veículo está acabando, dando a opção de utilizar créditos para renovar este tempo. Assim, ninguém vai tomar multas por estar ocupado na hora em que deveria trocar o cartão.