A Canon acaba de anunciar um novo produto que parece ter tudo o que é necessário para que a empresa finalmente mostre que está levando a sério a competição pelo mercado de câmeras mirrorless. Com o nome EOS M5, a novidade vem com um visor eletrônico embutido e deve ser exibida pela empresa no evento Photokina, marcado para acontecer na cidade alemã de Colônia entre os dias 20 e 25 de setembro.

O aparelho chega com um sensor APS-C de 24,2 MP, 49 pontos cross-type de autofoco e ISO que vai de 100 a 25.600. Além disso, a M5 também faz uso do sistema dual pixels de focalização automática da Canon, por meio do qual cada ponto se torna capaz de capturar luz e focar simultaneamente. Não menos importante, a novidade vem com o processador de imagens mais novo da fabricante, o Digic 7.

Seguno a Canon, a M5 produz imagens tão boas quanto ou melhores que as da DSLR 80D

A Canon afirma que os usuários da câmera podem esperar que a qualidade das imagens capturadas com a M5 seja tão boa quanto ou até melhor que a das fotografias tiradas com a sua DSLR 80D. Outro ponto interessante da nova mirrorless é sua velocidade: ela é capaz de bater fotos a 7 fps com autofoco contínuo ou até 9 fps sem esse recurso. Essa taxa de quadros por segundo, no entanto, não supera a das concorrentes Fujifilm X-T2 e Sony a6300. Na hora de gravar vídeos, a M5 é capaz de atingir 60 fps em uma resolução Full HD (1080p).

Corpo versátil e espaçoso

A tela touch LCD de 3,2 polegadas na traseira tem 1,6 milhão de pontos, mas só gira até 85º e se inclina até 180º para baixo – ou seja, não pode ser movida para o lado como o da 80D. Diferentemente das mirrorless anteriores da Canon, a M5 vem com um corpo que segue algo parecido ao estilo das SLR clássicas, sendo particularmente espessa no lado onde o botão do obturador está. Ao mesmo tempo, o aparelho conseguiu se manter leve, com apenas 380 gramas.

A M5 tem um corpo com um estilo similar ao das SLR clássicas da Canon

O espaço adicional permitiu que a fabricante embutisse um visor eletrônico de 2,36 milhões de pontos, deixando de forçar os consumidores a comprar um EVF externo. O corpo mais espesso possibilitou a adição de mais botões e discos seletores, sendo boa parte deles customizáveis. Dessa forma, o uso da M5 se torna algo bem mais prático para quem tem alguma experiência com câmeras cheias de recursos.

Segundo a Canon, a M5 será a primeira câmera da linha EOS a vir equipada com a tecnologia Bluetooth Low Energy, que permite conexão em tempo integral com o smartphone pareado do usuário. O dispositivo virá com resistência às intempéries do clima, mas essa capacidade não deve ser tão robusta quando a da 5D Mark IV.

Embora a novidade não conte com uma alavanca que permita selecionar pontos de foco, a fabricante afirma que será possível arrastar o seu dedo pela tela LCD para escolher qual deles deseja utilizar – algo bem parecido com o que vem sendo empregado por rivais como a Olympus. A M5 também terá um recurso de estabilização digital de imagens em 5 eixos, mas não contará com um sistema mecânico para esse fim.

Quanto custa?

Para fechar as novidades com chave de ouro, a Canon afirmou que sua linha de lentes nativas compatíveis com a câmera também receberá o reforço de uma 18-150 mm f3.5-6.3 com estabilização de imagens. Separadamente, a lente será vendida por US$ 499 (cerca de R$ 1.650, sem taxas), mas a fabricante também a colocará em um pacote com a M5, que sai por US$ 1.479 (em torno de R$ 4.891).

Quem quiser somente a nova mirrorless terá que desembolsar US$ 1 mil – aproximadamente R$ 3.307, em conversão direta. Por fim, será possível usar na M5 as lentes maiores da Canon, pensadas para as DSLRs, mas será necessário adquirir um adaptador de US$ 99 (R$ 327) para isso. Todas essas novidades estão previstas para chegar ás lojas norte-americanas em algum momento de novembro, mas não há estimativa para datas ou valores oficiais no Brasil.

Cupons de desconto TecMundo: