Mario Teza conversa com os campuseiros (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Na quinta-feira, os participantes da Campus Party Brasil 2012  foram surpreendidos pela prisão de um homem que, segundo a organização do evento, estaria portando três notebooks roubados. Os campuseiros acompanharam a ação da equipe de segurança de perto e gritaram vários palavrões em direção ao meliante. Mesmo com a prisão, os furtos não pararam.

Hoje, sexta-feira durante a palestra de Julien Fogeard, toda a Arena foi surpreendida por uma manifestação dos campuseiros, que exigiam mais segurança. Mario Teza, organizador da CPBR, pediu para que os manifestantes fossem até o palco de Artes Digitais, onde conversaria com todos os participantes.

A promessa foi cumprida e logo Teza apareceu para responder às questões dos campuseiros. Na situação, Teza disse que a equipe de segurança que trabalha na Campus Party vai ser aumentada para os últimos dias do evento. Quando questionado acerca das formas como as pessoas não autorizadas teriam entrado no Anhembi, ele respondeu que parte da culpa é do carnaval paulista.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A CPBR ocorre no mesmo local em que o carnaval de São Paulo é realizado. Isso significa que há uma grande quantidade de pessoas circulando pelas instalações do Anhembi (e que não estão registradas na Campus Party). Teza disse ainda que pediu para que a prefeitura fechasse o acesso de pessoas não autorizadas pela organização da Campus Party, mas não foi atendido.

Agora, espera-se que as promessas por mais segurança sejam cumpridas rapidamente para que os campuseiros possam aproveitar os últimos dias de evento sem medo. No momento (20:30), muitos deles circulam pela Arena da Campus Party com suas mochilas e, pelo Twitter, vários já anunciaram que vão voltar para casa ainda hoje.

Cupons de desconto TecMundo: