Imagem de: Nova câmera de ação da Ricoh tem resistência e ângulo de visão de babar
Fonte: Wizzcom

Nova câmera de ação da Ricoh tem resistência e ângulo de visão de babar

2 min de leitura
Avatar do autor

Há décadas no mercado de câmeras digitais, a Ricoh tem aproveitado os últimos anos para investir em um nicho bastante atraente desses dispositivos: as câmeras esféricas, capazes de gravar em um ângulo de 360 graus. O último lançamento da empresa japonesa, no entanto, fica no meio termo entre os itens tradicionais e os mais novos. Com capacidade de gravar vídeos em altíssima resolução e contando com uma lente grande-angular de cair o queixo a WG-M2 é o mais novo representante da linha ultrarresistente da companhia.

Voltada para o segmento de câmeras de ação – capitaneado pelas badaladas GoPro –, a sucessora da WG-M1 esbanja tecnologia tanto na sua carapaça externa como nos componentes protegidos dentro desse verdadeiro encouraçado. Cerca de 40% menor e mais leve que o primeiro modelo da família, a WG-M2 captura clipes 4K a 30 quadros por segundo ou 1080p a 60 fps – com a opção de chegar a 120 fps no formato 720p – e pode tirar fotos com 8 megapixels de resolução.

Embora essas especificações sejam muito boas para um gadget no segmento, marcas já estabelecidas como Sony e a própria GoPro já possuem pelo menos um produto intermediário com configurações semelhantes. Assim, qual a vantagem do novo equipamento da Ricoh? Basicamente, tudo se resume a uma resistência difícil de se encontrar e um campo de visão muito superior ao das concorrentes – fatores que podem fazer o brinquedinho cair no gosto dos consumidores mais exigentes.

Com uma construção reforçada, a WG-M2 é capaz de resistir a mergulhos de até 20 metros de profundidade, temperaturas de -10º C e quedas de mais de dois metros de altura – tudo isso dispensando cases ou outros acessórios. Um conjunto avançado de lentes também permite filmagens com um ângulo de 204 graus, uma melhoria considerável para o padrão da indústria, que costuma ficar na cada dos 170 graus. Caso você queira um vídeo mais fechado, um sistema de estabilização digital entra em jogo e garante que não haja tremidas no arquivo final.

Trazendo novidades para um segmento bastante concorrido, a nova câmera de ação da Ricoh é uma chance de a companhia se destacar diante dos consumidores e garantir uma fatia do mercado – disputando o bolso da clientela junto de Garmin, TomTom, Nikon, Samsung e outras marcas. Programada para ser lançada lá fora em abril pelo preço de US$ 299 (R$ 1,2 mil), a WG-M2 pode acabar se provando um concorrente à altura de produtos como a GoPro HERO4 Silver, que chega a custar 100 dólares mais caro sem oferecer a mesma resistência.

Quais são os elementos mais importantes em uma câmera de ação? Comente no Fórum do TecMundo!

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Nova câmera de ação da Ricoh tem resistência e ângulo de visão de babar