(Fonte da imagem: Reprodução/DinaWeb)

Por conta de mudanças, pagamentos atrasados, problemas de recepção ou apenas por preguiça. Não interessa o motivo, mas o fato é que muitas pessoas acabam pegando a internet do vizinho ou de algum estabelecimento próximo “emprestada”. E a maneira mais simples de fazer isso é se aproveitando do WiFi e da amizade de alguém, não é mesmo?

Pensando nisso, o instituto Data Popular realizou uma pesquisa para verificar a quantidade média de pessoas que têm o costume de utilizar o WiFi de terceiros. Como resultados, eles descobriram que cerca de 7,1 milhões de brasileiros costumam “roubar” sinal — número que não é tão grande, se você levar em consideração que o Brasil tem 102 milhões de usuários ativos de internet.

Questões de perfil...

Ainda de acordo com os dados fornecidos pelo estudo, a grande maioria dos brasileiros que utilizam a internet de terceiros são de classe média. Esse padrão acontece pelo fato de que, normalmente, essas pessoas têm relações mais próximas com seus vizinhos, de modo que o compartilhamento de internet acontece com mais facilidade.

Além de tudo isso, a região sudeste é que apresenta o maior volume de “roubos”, sendo que o pessoal que costuma realizar com maior frequência esse tipo de atividade tem de 16 até 25 anos. Para chegar a esses resultados, o Data Popular trabalhou com proporção e entrevistou mais de 2 mil pessoas em 100 cidades de todo o país.

De acordo com as informações disponíveis, fica claro que a atividade de compartilhamento de sinal de internet é clandestina — e, caso feita sem o consentimento da outra pessoa, pode ser encarada com falta de educação e ética. No entanto, apesar da entrada de processo feita pelo Ministério Público Federal, o Tribunal Federal Regional não considera o ato como crime.

Cupons de desconto TecMundo: