Paulo Bernardo, o ministro das Comunicações. (Fonte da imagem: Reprodução/INFO)

Nesta quinta-feira (18), ocorreu a primeira edição do Congresso Brasileiro de Internet. Na ocasião, executivos e empresários do ramo de tecnologia se juntaram com representantes do poder público para discutir o futuro da web no Brasil, assim como outros pontos relacionados a este assunto.

O objetivo principal do evento foi a discussão para criar soluções que levem o acesso à internet para todas as regiões do Brasil. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que este é um trabalho do governo e que isso deve ser realizado através de investimentos de infraestrutura, gerando serviços de qualidade.

Além disso, o ministro alegou que o Governo Federal pretende trabalhar com diversos tipos de tecnologia, inclusive expandindo o alcance da fibra ótica no país. Já o diretor-geral da Google no Brasil, Fábio Coelho, exigiu mais esforço por parte do setor privado, visando a criação de núcleos de excelência na área de pesquisa e inovação.

Segundo o executivo, não é possível esperar que a evolução venha pelo Governo. As grandes empresas têm o que é necessário para que os núcleos sejam criados — e isso deve acontecer através da utilização de regras transparentes e apoio ao empreendedorismo.

E a liberdade de expressão?

Todos os presentes no Congresso Brasileiro de Internet também discutiram sobre a liberdade de expressão em ambientes digitais, como redes sociais, games e sites. Para a felicidade da grande maioria dos internautas, esse direito foi amplamente defendido durante todo o evento.

O coordenador do Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getúlio Vargas, Ronaldo Lemos, foi contra a postura proibitiva de alguns dos representantes do poder público. Segundo Lemos, as novas mídias surgem e os órgãos oficiais de Governo não sabem como trabalhar com eles e acabam somente os proibindo.

Além disso, também há planos para que debates políticos possam ser feitos pela internet. Dessa maneira, grande parte da população poderia acompanhar as discussões, sendo que a iniciativa deixaria as campanhas eleitorais mais baratas.

Lei benéfica pode surgir

Fora do Congresso Brasileiro de Internet, outra discussão sobre o tema também está movimentando o poder público. Um projeto de Marco Civil da Internet deve ir à votação, sendo que o objetivo é dar direitos às pessoas que contrataram serviços de internet e obrigações às empresas provedoras. Embora os detalhes não tenham sido explicados, isso pode servir de base para que os futuros contratos sejam mais justos.

Cupons de desconto TecMundo: