Imagem de: Políticos e empresários discutiram o futuro da internet no Brasil

Políticos e empresários discutiram o futuro da internet no Brasil

1 min de leitura
Avatar do autor

Paulo Bernardo, o ministro das Comunicações. (Fonte da imagem: Reprodução/INFO)

Nesta quinta-feira (18), ocorreu a primeira edição do Congresso Brasileiro de Internet. Na ocasião, executivos e empresários do ramo de tecnologia se juntaram com representantes do poder público para discutir o futuro da web no Brasil, assim como outros pontos relacionados a este assunto.

O objetivo principal do evento foi a discussão para criar soluções que levem o acesso à internet para todas as regiões do Brasil. O ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que este é um trabalho do governo e que isso deve ser realizado através de investimentos de infraestrutura, gerando serviços de qualidade.

Além disso, o ministro alegou que o Governo Federal pretende trabalhar com diversos tipos de tecnologia, inclusive expandindo o alcance da fibra ótica no país. Já o diretor-geral da Google no Brasil, Fábio Coelho, exigiu mais esforço por parte do setor privado, visando a criação de núcleos de excelência na área de pesquisa e inovação.

Segundo o executivo, não é possível esperar que a evolução venha pelo Governo. As grandes empresas têm o que é necessário para que os núcleos sejam criados — e isso deve acontecer através da utilização de regras transparentes e apoio ao empreendedorismo.

E a liberdade de expressão?

Todos os presentes no Congresso Brasileiro de Internet também discutiram sobre a liberdade de expressão em ambientes digitais, como redes sociais, games e sites. Para a felicidade da grande maioria dos internautas, esse direito foi amplamente defendido durante todo o evento.

O coordenador do Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getúlio Vargas, Ronaldo Lemos, foi contra a postura proibitiva de alguns dos representantes do poder público. Segundo Lemos, as novas mídias surgem e os órgãos oficiais de Governo não sabem como trabalhar com eles e acabam somente os proibindo.

Além disso, também há planos para que debates políticos possam ser feitos pela internet. Dessa maneira, grande parte da população poderia acompanhar as discussões, sendo que a iniciativa deixaria as campanhas eleitorais mais baratas.

Lei benéfica pode surgir

Fora do Congresso Brasileiro de Internet, outra discussão sobre o tema também está movimentando o poder público. Um projeto de Marco Civil da Internet deve ir à votação, sendo que o objetivo é dar direitos às pessoas que contrataram serviços de internet e obrigações às empresas provedoras. Embora os detalhes não tenham sido explicados, isso pode servir de base para que os futuros contratos sejam mais justos.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Políticos e empresários discutiram o futuro da internet no Brasil