Em março, surgiu a informação de que o governo brasileiro estaria estudando maneiras de taxar alguns serviços OTT — aqueles que utilizam plataformas de outras empresas para entregar suas soluções.

Agora, Gilberto Kassab (ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Telecomunicações) decidiu falar algo que vai contra o que estava sendo proposto anteriormente, mas que pode agradar à maioria dos consumidores.

De acordo com o Olhar Digital, em um evento em SP o ministro disse: "Nós estamos à frente do Ministério para defender o usuário. Se o usuário hoje tem acesso a um serviço que é gratuito, você não pode criar — já que não existe necessidade — ônus para ele". Ou seja: novas taxas não seriam defendidas.

Gilberto Kassab diz que o governo deve defender os consumidores, sem novas taxas onerosas

Além de falar isso sobre o Netflix, o político também foi bem enfático ao dizer que concorda que serviços como WhatsApp, Telegram e outros similares devem permanecer sendo disponibilizados gratuitamente em todo o Brasil.

Mudou de ideia?

Apesar de ter emitido a opinião mencionada acima, o site Canaltech relembra algo bem interessante. De acordo com a publicação, em junho deste ano Gilberto Kassab teria dito que os serviços OTT deveriam ser regulamentados e taxados no Brasil — a declaração foi feita durante um evento da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura.

Na ocasião, o Kassab também tinha dito que a regulamentação era uma necessidade para que as condições de operação ficassem mais igualitárias. Qual será a opinião sincera dele? E com qual delas você concorda?

Cupons de desconto TecMundo: