(Fonte da imagem: Reprodução/BlackBerry)

Os usuários do BlackBerry podem respirar aliviados ao saber que o CEO da empresa, John Chen, não pretende vender a divisão de smartphones. Toda a discussão teve início quando um artigo da Reuters publicou no dia 9 uma fala do representante dizendo que “se não pudesse fazer dinheiro com os dispositivos móveis, ele não estaria neste ramo do mercado”. Em poucas horas o presidente informou por meio do site oficial que a fala foi levada “fora de contexto” e que sua companhia ainda permanece firme com os aparelhos.

Chen buscou esclarecer o posicionamento da empresa. “Eu gostaria de assegurar que eu não tenho nenhuma intenção de vender ou abandonar o negócio muito cedo”, comenta o CEO no comunicado oficial. “Nosso foco atualmente é encontrar um meio de tornar este ramo rentável.”

Mais tarde o executivo deu mais detalhes sobre sua fala em uma mesa redonda com repórteres. Segundo ele, o comentário foi uma resposta a um jornalista sobre o que aconteceria no ramo dos celulares se ele não conseguisse ter um retorno financeiro com o negócio. Ele ainda ressaltou que, durante a entrevista, ele teria assegurado que o ramo é rentável para a empresa.

Toda a discussão sobre os lucros foi ampliada quando o BlackBerry divulgou publicamente a sua receita financeira, apontando uma queda de 38,47% se comparada ao ano fiscal de 2013. O relatório apontou também um prejuízo líquido de US$ 423 milhões para a companhia nos últimos três meses.

Mesmo assim, John Chen mostra confiança que a empresa irá virar o jogo. “Nós faremos tudo ao nosso alcance para continuar a construir este negócio e entregar aparelhos com o teclado icônico e as outras ferramentas que vocês já esperam de nossa marca”, ressalta o CEO. “Fiquem tranquilos, nós continuaremos a lutar. Nós não desistimos e não deixaremos este ramo do mercado.”

Cupons de desconto TecMundo: