O governo federal resolveu acabar com a Lei do Bem para aumentar as arrecadações de impostos diante da crise econômica, e isso vai tornar aparelhos eletrônicos mais caros já a partir de 1° de dezembro. Dessa forma, computadores pessoais, tablets, smartphones, roteadores e outros não terão mais as isenções que variavam de 3,65% a 9,25%. A expectativa é que muitos consumidores resolvam antecipar as compras de Natal por conta da mudança.

Segundo Américo Tomé, gerente de marketing da Intel, o varejo deve aumentar os preços dos eletrônicos afetados já no primeiro dia do fim da Lei do Bem. Felizmente, isso não afetaria a Black Friday, que acontecerá em 27 de novembro.

“O que veremos neste ano é uma antecipação da temporada de compras do Natal. Por conta dos impostos que voltarão a vigorar em dezembro, recomendamos aos consumidores que antecipem as suas compras para aproveitar as melhores ofertas”, explicou Tomé ao IDG Now.

Quanto?

Com o fim da isenção de alguns impostos que faziam parte da lei aliado à alta do dólar — que agora flutua pouco abaixo dos R$ 4 —, a expectativa é de que os preços subam pelo menos 10% em todos os produtos que custam até R$ 1,5 mil. Os aparelhos que já custavam mais que isso não serão afetados, uma vez que nunca participaram das isenções da Lei do Bem.

“Nossas pesquisas indicam que o interesse do consumidor brasileiro por eletrônicos continua alto, e esse consumidor precisa agora redobrar a atenção na hora da compra para ter certeza de que está investindo, de forma correta, em um produto que vai atender a todas as suas necessidades”, completou Tomé.

Se você está preocupado com esse provável aumento dos preços, é bom ficar de olho nas promoções da Black Friday, uma vez que, no Natal, os preços podem não estar mais tão atraentes. Muitas varejistas online já estão com banners da Black Friday em seus sites para que clientes registrem seus emails e recebam descontos antecipadamente.

Cupons de desconto TecMundo: