O Facebook conta com mais de um bilhão de pessoas interagindo. Isso significa que quase 20% da população mundial está enviando fotografias, vídeos e outros conteúdos para a rede social com muita frequência. Mas como fazer para as timelines não serem invadidas por imagens repulsivas e criminosas, além de outros tipos de conteúdo que deixariam qualquer usuário com muito desconforto?

A resposta está na moderação. Ao redor do mundo, existem cerca de 100 mil pessoas dedicadas a visualizarem conteúdos postados pelos usuários para excluir materiais ofensivos e impedir que pessoas reincidentes continuem agindo na rede social. É dessa forma que os sistemas da internet podem se manter livres (ou quase livres) de postagens que não queremos ver.

É claro que isso não acontece somente no Facebook. Qualquer serviço que permita a postagem de usuários precisa passar por moderação. O YouTube, por exemplo, é um desses serviços e a moderação é o que permite que naveguemos sem sermos surpreendidos por vídeos pesados dos mais diversos tipos. Twitter, Secret, Whisper e Vimeo... Todos precisam desse serviço.

O trabalho sujo

Editores do Wired visitaram uma empresa filipina responsável pela publicação do aplicativo Whisper — que funciona como um mural de postagens semianônimas. Lá, alguns funcionários responsáveis pela moderação disseram que são expostos a todo tipo de conteúdo, o que inclui pornografia ilegal, violência brutal e muito mais do que a grande maioria das pessoas consegue imaginar.

Na mesma reportagem, o Wired cita um caso de um trabalhador que desistiu do trabalho de moderador de conteúdo ao ver um vídeo de decapitação enquanto trabalhava numa startup chamada VideoEgg. Este funcionário disse que o fator que o levou a desistir — além do vídeo — foi a reação de um colega. Ele disse que não queria se tornar frio a ponto de achar que esse tipo de violência era banal.

Segundo as fontes entrevistadas pelo site norte-americano, o tempo médio que um trabalhador se mantém na moderação de um site de escala global fica entre três e seis meses. Em países com condições trabalhistas mais precárias, o salário mensal para esse tipo de serviço não ultrapassa os US$ 300. Será que você teria estômago para trabalhar moderando conteúdos nas redes sociais?

Cupons de desconto TecMundo: