Toda a vida é alimentada por eletricidade, ainda que indiretamente, uma vez que a maioria dos organismos consome açucares que produzem reações eletroquímicas. Nesse sentido, nós já sabemos que existem bactérias que se alimentam de elétrons, vivendo em ambientes muito quentes ou sem oxigênio.

No entanto, recentemente, alguns pesquisadores conseguiram pela primeira vez cultivar um tipo de organismo que só precisa de eletricidade para conseguir sobreviver.

O The News Scientist publicou um estudo no qual biólogos explicam que conseguiram cultivar as bactérias Mariprofundus ferroxydans PV-1 em um laboratório apenas aplicando uma carga de energia elétrica a elas através de eletrodos de ferro. Não foi necessário utilizar nenhuma outra fonte de açúcar ou nutriente (veja o vídeo abaixo).

Correntes de energia

Além disso, a Mariprofundus ferroxydans PV-1 não é a única bactéria que possui essa característica, já que até agora foram descobertos oito tipos de organismos que podem comer e excretar elétrons. Todos eles também podem formar correntes com cerca de uma polegada de comprimento que utilizam o oxigênio do mar para gerar energia. Essas correntes também podem conduzir eletricidade, como os fios de cobre comuns. Como essas bactérias conseguem gerenciar esses elétrons ainda é um mistério para a ciência.

Segundo o The New Scientist, os pesquisadores acreditam que as bactérias com tais características podem ser usadas em algumas aplicações úteis, incluindo a produção de dispositivos de combate à poluição autoalimentados. Eles também poderão realizar testes sobre um dos principais mais básicos da biologia: a quantidade mínima de energia necessária para a vida existir.

Cupons de desconto TecMundo: