Biólogos da Universidade de Oklahoma estudam a habilidade dos aracnídeos e chegaram a algumas conclusões sobre sua “funcionalidade” evolutiva. De acordo com Douglas Gaffin, coordenador da pesquisa, explicou em um artigo que a função da fluorescência ainda não foi totalmente desvendada, mas pode estar ligada a capacidade fotossensível da criatura.
Aparentemente, o corpo do escorpião é um fotosensor capaz de sentir a luz. A interpretação das informações do ambiente torna a busca por abrigo mais eficiente, haja vista que o aracnídeo sentirá quando qualquer parte do seu exoesqueleto estiver escondido da

(Fonte da imagem: Reprodução/Daily Mail)

Biólogos da Universidade de Oklahoma estudaram a habilidade dos quelicerados e chegaram a algumas conclusões sobre sua “funcionalidade” evolutiva. Douglas Gaffin, coordenador da pesquisa, explicou em um artigo científico que a função da fluorescência — evidenciada quando eles são expostos a luz ultravioleta — ainda não foi totalmente desvendada, mas pode estar ligada à capacidade fotossensível da criatura.

Aparentemente, o corpo do escorpião é um fotossensor capaz de sentir a luz. A interpretação das informações do ambiente torna a busca de abrigo mais eficiente, haja vista que o quelicerado sentirá quando qualquer parte do seu exoesqueleto estiver escondido da luz.

Cupons de desconto TecMundo: