Imitando um dos primeiros e maiores feitos da história da aviação, no qual o francês Louis Blériot atravessou o Canal da Mancha com um veículo voador motorizado em 1909, o avião elétrico E-Fan cruzou os ares entre Lydd, na Inglaterra, e Calais, na França, alimentado apenas por baterias de íon-lítio.

Com essa tecnologia ainda engatinhando, não significa que a Airbus vai substituir sua frota de aeronaves massivas por aviões de motor elétrico, é claro, mas o feito significa um grande avanço na área, que vem aumentando a autonomia de voo com esse tipo de propulsão.

A viagem durou cerca de 37 minutos, com distância de 74 quilômetros, e aconteceu na manhã do dia 10 de julho, data que deve entrar para a história da aviação moderna. O pequeno avião, apropriadamente batizado de E-Fan, possui dois assentos que comportaram o piloto de testes Didier Esteyene e Jean Botti, diretor técnico da Airbus.

A viagem durou cerca de 37 minutos, com distância de 74 quilômetros.

A tecnologia de motores elétricos em aviões vem sendo desenvolvida por outras iniciativas, notavelmente a NASA, com um protótipo que deve funcionar com uma série de pequenos propulsores. Além disso, temos os exploradores e empresários suíços Bertrand Piccard e André Borshberg, que desenvolveram por conta própria o grande Solar Impulse, atualmente no meio de uma jornada em volta da Terra utilizando energia da luz do Sol.

Para acessar o vídeo com imagens dessa viagem, clique neste link.