(Fonte da imagem: Akira Uekawa/Airliners.net)

A Boeing não está nada satisfeita com a suspensão em todo o mundo das aeronaves modelo 787 por causa de problemas na bateria, que superaquecia e chegava a derreter, causando acidentes e pousos forçados.

Como alternativa, em vez de aposentar toda a frota, a fabricante sugeriu uma série de mudanças no design das baterias para evitar que esses problemas voltem a ocorrer, ao menos em curto prazo. A solução proposta duraria enquanto ocorrem as negociações sobre o futuro dos veículos.

A ideia da Boeing é separar as células nas baterias de íon-lítio para reduzir acidentes que começam com fogo ou calor expandindo-se para todas as peças. Elas ainda seriam maiores e mais rígidas, se movendo menos no interior dos aviões. Sensores térmicos capazes de detectar anomalias na temperatura das aeronaves também seriam instalados. Até agora, não se sabe qual a resposta ou o prazo final da Federal Aviation Administration (FAA).