(Fonte da imagem: Divulgação/Boeing)

Principal produto da Boeing atualmente, os aviões pertencentes à linha 787 Dreamliners tiveram seu voo suspenso em todo o mundo. A decisão se deve às preocupações quanto a segurança oferecida pelo veículo, que tem apresentado problemas  de operação em diversas partes do planeta.

A decisão surgiu após um alerta de fumaça ser disparado em uma aeronave do tipo no Japão — investigações mostraram que houve danos sérios à bateria do avião. Ao todo, aproximadamente 850 unidades do veículo foram vendidas a companhias aéreas da Índia, América do Sul, Polônia, Estados Unidos e Etiópia, das quais 50 já foram entregues — em território brasileiro, nenhum aeroporto recebe aviões dessa categoria.

Segundo a agência responsável pela fiscalização dos voos que acontecem nos Estados Unidos, a FAA, a suspensão deve continuar até que a Boeing consiga comprovar as condições de segurança de seu veículo. Em uma declaração oficial, o presidente e CEO da companhia, Jim McNerney, afirmou que diversas providências estão sendo tomadas para que o problema seja solucionado rapidamente, e que a empresa coloca a segurança de seus consumidores em primeiro lugar na hora de desenvolver novas aeronaves.