Enquanto empresas como Google, Tesla e Ford se concentram na fabricação de carros autônomos, a Airbus está pensando de forma mais revolucionária. A companhia, conhecida por seus aviões, pretende trazer a centros urbanos uma frota de táxis voadores até o ano de 2021.

A companhia pretende iniciar os testes de seus primeiros protótipos a partir de 2017 em sua subdivisão A3, localizada no Vale do Silício. A empresa está construindo uma plataforma de veículo autônomo voador conhecida como Vahana, cujo objetivo é transportar passageiros individuais e cargas — o que a torna um concorrente direto dos drones da Amazon.

Segundo o líder de projeto Rodin Lyasoff, criar um protótipo funcional já no próximo ano é algo viável, visto que a maioria das tecnologias necessárias “já estão no caminho necessário”. Um dos maiores desafios enfrentados pelo time de desenvolvedores é criar um sistema capaz de detectar e evitar objetos que seja otimizado para o ambiente aéreo.

Os novos veículos podem transportar tanto cargas quanto pessoas

Lyasoff acredita que há demanda suficiente para que vejamos frotas de milhões de aeronaves do tipo voando pelos céus das grandes cidades. Para que isso seja possível, no entanto, a companhia vai ter que convencer algum país a permitir que testes com o veículo sejam realizados — algo que pode se provar bastante perigoso.

O objetivo a longo prazo do Vahana é abrir caminho para a criação de veículos autônomos que transportem passageiros dentro de um sistema batizado como “CityAirbus” pela Airbus. Seria possível agendar assentos através de smartphones, sendo que a maioria das viagens seria compartilhada com outras pessoas para reduzir os custos do transporte e tornar essa opção uma alternativa viável aos meios de transporte coletivos de que dispomos atualmente.